• 21jan

    UOL NA COPA DO MUNDO

    Quartos do Hotel Gallant antes e depois da reforma: do motel (dir.) ao hotel (esq.)

    • Quartos do Hotel Gallant antes e depois da reforma: do motel (dir.) ao hotel (esq.)

    A Prefeitura do Rio de Janeiro prometeu transformar a cidade com a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016.

    A quatro anos para o final Jogos Olimpícos, ainda não é possível saber se a promessa será cumprida. O que já se sabe, porém, é que os grandes eventos esportivos vão transformar muitos motéis cariocas.

    De olho na Copa e na Olimpíada, donos de empreendimentos voltados ao pernoite de casais estão reformando seus negócios para atender turistas.

    De acordo com a ABIH-RJ (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Rio de Janeiro), cerca de um terço dos motéis do Rio já terão sido convertidos em hotéis até 2016.

    Antônio Cerqueira é vice-presidente da entidade. Segundo ele, hoje, o Rio tem 182 motéis em áreas urbanas, ou seja, motéis que não ficam em estradas ou rodovias.

    Desses, cerca de 60 devem passar por reformas para se adequarem à nova demanda turística carioca.

    “A Copa e a Olimpíada vão trazer muita gente”, disse Cerqueira. “Os donos de motéis enxergaram uma oportunidade e podem ajudar a cidade. O Rio precisa de vagas para abrigar os turistas. Os motéis convertidos podem receber até 14 mil pessoas.”

    A ABIH-RJ, atualmente, negocia com a prefeitura alguns incentivos fiscais para a conversão de motéis. O Rio já dá descontos em impostos para a construção ou ampliação de hotéis. Empresários querem que esse incentivo seja estendido aos motéis reformados.

    Independentemente do apoio municipal, porém, obras já começaram em alguns motéis da cidade.  O motel Gallant, na região central do Rio, por exemplo, já tem hoje 60% dos seus 119 apartamentos transformados em quartos de hotel.

    Neles, saíram os espelhos, as banheiras e as camas redondas. Entraram o acesso à internet e as camas de solteiros. 

    “Não é que o motel seja um mau negócio, mas percebemos uma demanda muito grande de turistas. Isso deve aumentar”, explicou Sérgio Henrique de Oliveira, um dos sócios do Gallant, que atualmente também já pode ser chamado de hotel.

    A conversão do Gallant começou há cerca de um ano. Ela foi iniciada depois que Sérgio e seus sócios finalizaram a reforma do motel Ebony, que foi completamente modificado e mudou até de nome. Virou Hotel Diamond.

    Segundo Sergio, o Gallant estará totalmente convertido em hotel no final de 2013. “Para a Copa do Mundo, estaremos 100% prontos. Esperamos os turistas.”

  • 08nov

    FOLHA.COM

    O governador do Ceará, Cid Gomes(foto), reagiu nesta quarta-feira (7) com ironia às declarações do governador do Rio, Sérgio Cabral, de que não é possível fazer Copa e Olimpíadas caso a receita com royalties de petróleo do Estado seja reduzida.

    “Eu me recuso a aceitar que isso seja uma forma de chantagem. Estou acreditando [que realmente não seja possível fazer esses eventos] e nesse caso me comprometo a realizar no Ceará os jogos da Copa programados para o Rio e a sediar as Olimpíadas em Fortaleza”, disse Cid Gomes a Folha.

    “Se o Rio não conseguir, o Ceará faz”, insistiu.

    A redução da fatia do Rio nos Royaties foi aprovada no Congresso ontem e atinge até os contratos já em vigor. Cabral conta com um veto da presidente Dilma Rousseff que impeça as perdas do Rio no caso dos campos já leiloados.

    COLAPSO

    O governador do Rio, Sérgio Cabral, disse que a mudança gera um colapso nas finanças públicas do Estado, e que não será possível fazer a Copa do Mundo (2014) e a Olimpíada (2016) sem esses recursos.

    “Então, não se faz Olimpíada, não se faz Copa do Mundo, não se paga servidor público, não se paga aposentado, não se paga pensionista. Enfim, o Estado sofre um abalo”, disse Cabral.

    O autor do projeto de Lei sobre a redistribuição dos royalties do petróleo, o senador Wellington Dias (PT-PI), rebateu as declarações do governador Sérgio Cabral afirmando que não há quebra de contrato entre as empresas e a União, já que o percentual de 10% da taxa dos royalties foi mantido nas novas regras.

  • 17set

    [email protected]ET.COM

    O Jornal da Câmara, informativo impresso da Câmara Federal, destacou em sua edição desta segunda-feira (17), a opinião de parlamentares sobre o Plano Brasil Medalhas 2016, lançado na semana passada pelo Governo Federal.

    Apesar de considerar a ação “louvável”, o deputado federal João Arruda (PMDB/PR), presidente da Frente Parlamentar de Apoio à Atividade Física para o Desenvolvimento Humano, criticou a falta de um objetivo social, que amplie a prática esportiva no país.

    “Esse projeto não tem um objetivo social nem pretende ampliar a prática esportiva no nosso País, e estabelecer uma cultura saudável. Ele apenas visa o resultado das Olimpíadas em 2016, o que não é uma condição única do esporte”, disse Arruda.

    Para Arruda o bom desempenho nas competições esportivas, com mais medalhas e melhores colocações, é um resultado direto do investimento no esporte como um todo, desde sua base, criando uma cultura da prática esportiva com toda a população.

    O plano pretende investir na formação de atletas olímpicos e paralímpicos, construção de centros de especialidades esportivas e o aperfeiçoamento dos programas de bolsas a competidores desportivos, visando assim a melhoria da performance brasileira nas Olimpíadas e Paralimpiadas de 2016, que serão realizadas na cidade do RIo de Janeiro.

  • 30ago

    Passo adiante como recebi:

    De 2011 a 2015

    1. ONGs vão pipocar dizendo que apóiam o esporte, tiram crianças das ruas e as afastam das drogas. Após as olimpíadas estas ONGs desaparecerão e serão investigadas por desvio de dinheiro público. Ninguém será preso ou indiciado.

    2. Um grupo de funk vai fazer sucesso com uma música que diz: Vou pegar na tua tocha pra você pôr na minha pira.

    3. Uma escola de samba vai homenagear os jogos, rimando “Barão de Coubertin” com “sol da manhã”. Gilberto Gil virá no último carro alegórico vestido de lamê dourado representando o “espírito olímpico do carioca visitando a corte do Olimpo num dia de sol ao raiar do fogo da vitória ”.

    4. Haverá um concurso para nomear a mascote dos jogos que será um desenho misturando um índio, o sol do Rio, o Pão de Açúcar e o carnaval, criado por Hans Donner. Os finalistas terão nomes como : “Zé do Olimpo”, “ Chico Tochinha” e “Kaíque Maratoninha”.

    5. Luciano Huck vai eleger a Musa dos jogos, concurso que durará um ano e elegerá uma modelo chamada Kathy Mileine Suellen da Silva.

    Abertura dos jogos

    1. A tocha olímpica será roubada ao passar pela baixada fluminense. O COB vai encomendar outra com urgência para um carnavalesco da Beija-flor.

    2. Zeca Pagodinho, Dudu Nobre e a bateria da Mangueira farão um show na praia de Copacabana para comemorar a chegada do fogo olímpico ao Rio. Por motivo de segurança, Zeca Pagodinho será impedido de ficar a menos de 500 metros da tocha.

    3. Durante o percurso da tocha, os brasileiros vão invadir a rua e correr ao lado dela carregando cartolinas cor de rosa onde se lê GALVÃO FILMA NÓIS, 100% FAVELA DO RATO MOLHADO.

    4. Pelé vai errar o nome do presidente do COI, discursar em um inglês de merda elogiando o povo carioca e, ao final, vai tropeçar no carpete que foi colado 15 minutos antes do início da cerimônia.

    5. Claudia Leite e Ivete Sangalo vão cantar o “Hino das Olimpíadas” composto por Latino e MC Medalha. As duas vão duelar durante a música para ver quem aparece mais na TV.

    6. O Hino Nacional Brasileiro será entoado a capella por uma arrependida Vanuza, que jura que “não bota uma gota de álcool na boca desde a última copa”. A platéia vai errar a letra, em homenagem a ela, chorar como se entendesse o que está cantando, e aplaudir no final como se fosse um gol.

    7. Uma brasileira vai ser filmada várias vezes com um top amarelo, um shortinho verde e a bandeira dos jogos pintada na cara. Ela posará para a Playboy sem o top e sem o shortinho e com a bandeira pintada na bunda.

    8. Por falta de gás na última hora, já que a cerimônia só foi ensaiada durante a madrugada, a pira não vai funcionar. Zeca Pagodinho será o substituto temporário já que a Brahma é um dos patrocinadores. Em entrevista ao Fantástico ele dirá que não se lembra direito do fato.

    9. Setenta e quatro passistas de fio-dental vão iniciar a cerimônia mostrando o legado cultural do Rio ao mundo: a bala perdida, o tráfico, o funk, o sequestro relâmpago e a favela.

    10. Durante os jogos de tênis a plateia brasileira vai vaiar os jogadores argentinos obrigando o árbitro a pedir silêncio 774 vezes. Como ele pedirá em inglês ninguém vai entender e vão continuar vaiando. Galvão Bueno vai dizer que vaiar é bom, mas vaiar os argentinos é melhor ainda. Oscar concordará e depois pedirá desculpas chorando no programa do Gugu.

    11. Um simpático cachorro vira-lata furará o esquema de segurança invadindo o desfile da delegação jamaicana. Será carregado por um dos atletas e permanecerá no gramado do Maracanã durante toda a cerimônia. Será motivo de 200 reportagens, apelidado de Marley, e será adotado por uma modelo emergente que ficará com dó do pobre animalzinho e dirá que ele é gente como a gente.

    12. Adriane Galisteu posará para a capa de CARAS ao lado do grande amor da sua vida, um executivo do COB.

    13. Os pombos soltos durante a cerimônia serão alvejados por tiros disparados por uma favela próxima e vendidos assados na saída do Maracanã por “dois real”.

    Durante os jogos

    1. Caetano Veloso dará entrevista dizendo que o Rio é lindo, a cerimônia de abertura foi linda e que aquele negão da camiseta 74 da seleção americana de basquete é mais lindo ainda.

    2. Uma modelo-manequim-piranha-atriz-exBBB vai engravidar de um jogador de hóquei americano. Sua mãe vai dar entrevista na Luciana Gimenez dizendo que sua filha era virgem até ontem, apesar de ter namorado 74 homens nos últimos seis meses, e que o atleta americano a seduziu com falsas promessas de vida boa nos EUA. Após o nascimento do bebê ela posará nua e terá um programa de fofocas numa rede de TV.

    3. No primeiro dia os EUA, a China e o Canadá já somarão 74 medalhas de ouro, 82 de prata e 4 de bronze. Os jornalistas brasileiros vão dizer a cada segundo que o Brasil é esperança de medalha em 200 modalidades e certeza de medalha em outras 64.

    4. Faltando 3 dias para o fim dos jogos, o Brasil terá 3 medalhas de bronze e 1 de ouro, esta ganha por atletas desconhecidos no esporte “caiaque em dupla”. Eles vão ser idolatrados por 15 minutos (somando todas as emissoras abertas e a cabo) como exemplos de força e determinação. A Hebe vai dizer que eles são “uma gracinha” ao posarem mordendo a medalha, e nunca mais se ouvirá deles.

    5. A seleção brasileira de futebol comandada por Ronaldinho vai chegar como favorita. Passará fácil pela primeira fase e entrará de salto alto na fase final, perdendo para a seleção de Sumatra.

    6. A seleção americana de vôlei visitará uma escola patrocinada pelo Criança Esperança. Três meninos vão ganhar uma bola e um uniforme completo dos jogadores, sendo roubados e deixados pelados no dia seguinte.

    7. Os traficantes da Rocinha vão roubar aquele pó branco que os ginastas passam na mão. Um atleta cubano será encontrado morto numa boate do Baixo Leblon depois de cheirá-lo. O COB, a fim de não atrasar as competições de ginástica, vai substituir o tal pó pelo cimento estocado nos fundos do ginásio inacabado.

    8. Um atleta brasileiro nunca visto antes terminará em 57º lugar na sua modalidade e roubará a cena ao levantar a camiseta mostrando outra frase onde se lê: JARDIM MATILDE NA VEIA.

    9. Vários atletas brasileiros apontados como promessa de medalha serão eliminados logo no início da competição. Suas provas serão reprisadas em ‘slow motion’ e 400 horas de programas de debate esportivo vão analisar os motivos das suas falhas.

    Após os jogos

    1. Um boxeador brasileiro negro de 1,85m estrelará um filme pornô para pagar as despesas que teve para estar nos jogos e por não obter patrocínio.

    2. Faustão entrevistará os atletas brasileiros que não ganharam medalhas. Não os deixará pronunciar uma palavra sequer, mas dirá que esses caras são exemplos no profissional tanto quanto no pessoal, amigos dos amigos, e outras besteiras.

    3. No início do ano seguinte, vários bebês de olhos azuis virão ao mundo e as filas para embarque nos vôos para a Itália, Portugal e Alemanha serão intermináveis, com mães “ofendidas”, segurando seus rebentos…

  • 02dez

     BBC BRASIL

    No planejamento de um evento do porte de uma Olimpíada, assumir riscos financeiros para tirar o projeto do papel pode parecer justificável, mas na opinião diretor-executivo da agência da ONU Habitat, Joan Clos, essa é uma impressão falsa e uma estratégia perigosa.

    “Nem o Rio ou qualquer outra cidade precisa entrar em aventuras injustificadas para sediar os Jogos Olímpicos ou qualquer outro evento esportivo desse porte”, afirma Clos, que foi prefeito de Barcelona entre 1997 e 2006.

    “Na verdade, organizar uma Olimpíada não passa de um grande processo de gestão, semelhante ao que grandes empresas e grandes cidades enfrentam cotidianamente, com todos os desafios envolvidos.”

    Embarcar em grandes empréstimos pode prejudicar todo o país e não apenas a cidade-sede, como ocorreu com a Grécia, que sediou os Jogos Olímpicos em 2004.

    Além disso, na opinião de Clos, os jogos são justamente o momento para se aproveitar os recursos disponíveis, tanto pela participação do Estado como a de empresas privadas, para se emplacar projetos e ideias que nunca têm recursos suficientes para sair do papel.

    “É um grande empurrão para essas melhorias. O impacto de uma olimpíada pode transformar uma cidade para sempre.”

    Evitando elefantes brancos

    O espanhol afirma que é preciso ter em mente a ideia de que passado o mês dos jogos (incluindo os paraolímpicos), todos voltam para suas casas, e por isso é crucial direcionar esse investimento da melhor maneira possível.

    Joan Clos. | Foto: DivulgaçãoJoan Clos foi prefeito da cidade espanhola pouco depois dos Jogos Olímpicos de 1992

     

    Uma das armadilhas a serem evitadas é justamente a construção de arenas para esportes de pouca tradição no país. “A modalidade vai continuar sendo impopular e o estádio se tornará um grande elefante branco”, afirma.

    Para ele, o melhor é investir em instalações provisórias, que possam ser usadas para outras finalidades após os jogos. Londres vem investindo em estádios desse tipo, que já inclusive despertaram o interesse do prefeito do Rio, Eduardo Paes.

    Um dos grandes trunfos de Barcelona ao sediar a Olimpíada de 1992 foi, segundo o espanhol, usar os jogos como uma maneira de lidar com a crise que afetava o país nos anos 80. E entre os principais objetivos estava o de impulsionar o turismo na cidade.

    “E nos saímos muito bem”, afirma. “Por isso, visto que o Rio já é uma das cidades turísticas mais conhecidas do mundo, tem tudo para seguir o mesmo caminho.”

    Para Clos, a cidade carioca tem um grande potencial para, com a Olimpíada, transformar seus espaços em locais que podem ser bem utilizados no futuro, gerar emprego e melhorar a condição de vida da população.

    “Será uma oportunidade imperdível – e também uma grande responsabilidade – para o Brasil mostrar sua nova imagem, a de país emergente.”

« Entradas anteriores   



Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota