• 21fev

    JORNAL DA CIDADE ONLINE

     

    O jantar que reuniu Gilmar, Maia e Dória e o que o trio discutiu ou “conspirou”

     

     

    Gilmar Mendes, Rodrigo Maia e Dória jantam juntos.

    A pauta passada para a imprensa?

    A “escalada autoritária” de Jair Bolsonaro.

    Gilmar, do STF, aquele do inquérito ilegal que investiga e julga os apoiadores do governo sem deixar os advogados terem acesso a nada, em uma tentativa de chantagear o governo.

    João Doria o responsável por convencer o Fruta e a Peppa a tentarem cavar um impeachment do presidente na CPMI das Fake News.

    Rodrigo Maia, presidente da Câmara, mais conhecido como nosso primeiro-ministro que acha que quem governa é ele e que está louco para colocar um impeachment em pauta.

    Qual o motivo real do jantar?

    Discutir como derrubar o governo sem parecer um golpe!!

    Desenhando: se a gente não fizer nada teremos GOLPE muito em breve.

    (Texto de Flavia Ferronato. Advogada. Coordenadora Nacional do Movimento Advogados do Brasil)

  • 20fev

    FALANDO ABERTAMENTE – CRISTINA GRAEML – GAZETA DO POVO

     

    Lula continua sendo Lula, aqui ou no Vaticano

     

    A internet veio abaixo, porque o papa Francisco aceitou receber a visita do ex-presidente Lula.

    Causou surpresa mesmo, afinal o lógico seria um criminoso condenado pela Justiça estar preso e não passeando pelo mundo.

    E do papa espera-se a bênção a quem segue os preceitos católicos e respeita os mandamentos da igreja ou a quem comete erros, mas se arrepende, busca a confissão e o perdão. Não parece ter sido o caso.

    Depois da visita de Lula ao Vaticano já teve artigo de todo o tipo, seguido daqueles comentários raivosos que viraram praxe nas redes sociais, mas quero voltar ao tema porque esta é uma ótima oportunidade para resgatar alguns pontos que não devem ser esquecidos.

    Lula: do calvário à liberdade para chegar ao Vaticano

    Primeiro é preciso lembrar quem é Lula atualmente: um ex-presidente da República, que cometeu crimes, está sendo investigado, responde a vários processos e, em dois deles, já está condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, não só por um juiz, mas por colegiados de juízes.

    No caso do tríplex do Guarujá, além da condenação por um juiz de primeira instância (Sérgio Moro, à época titular da 13ª Vara de Justiça Federal em Curitiba) ele foi condenado por dois colegiados de juízes (TRF-4 e STJ).

    É importante ter em mente também, que o ex-presidente não foi solto por ter conseguido provar que é inocente. Isso ele disse que faria, lembram?

    Quando estava preso Lula afirmou que não trocaria sua dignidade pela liberdade e que só aceitaria ser solto se fosse reconhecida sua inocência.

    Isso não aconteceu, mas o ex-presidente esqueceu a própria palavra e decidiu sair da prisão, ainda que continuasse como culpado e condenado perante a Justiça brasileira.

    Lula também “esqueceu” o que tinha dito antes de ser preso, em abril de 2019.

    Palavas dele: “provem uma corrupção minha que eu irei a pé pra ser preso.” Ele falou que tinha tanta certeza que ser “a viva alma mais honesta do país” que se provassem que ele tinha cometido algum crime viria a pé se entregar para a polícia federal em Curitiba.

    Quando saiu a primeira ordem de prisão contra ele, refugiou-se na sede do sindicato dos metalúrgicos em São Bernardo do Campo, fez aquele teatro todo, comício até, antes de se entregar e vir para cá de jatinho mesmo, pago com dinheiro público.

    Em novembro de 2019 Lula foi liberado da sala especial da sede da Polícia Federal em Curitiba, onde ficou preso por um ano e sete meses, graças à decisão do STF, que garantiu liberdade a criminosos enquanto houver recursos a serem analisados por tribunais superiores – o que, na prática, significa dizer que bandidos com dinheiro suficiente para pagar bons advogados (dinheiro roubado ou não) podem ficar livres, enquanto os advogados ficarem recorrendo das sentenças.

    Francisco: do Vaticano ao calvário de ter recebido Lula

    Quanto ao papa Francisco, ele aceitou receber a visita do ex-presidente brasileiro condenado a pedido de um amigo de Lula e conterrâneo seu – o atual presidente da Argentina Alberto Fernández -, que tinha, ele próprio, visitado o Vaticano duas semanas antes.

    Deixando de lado as tendências esquerdistas do papa, já manifestadas nesse e em outros episódios, vale dizer que ele está no papel de líder religioso, de receber quem quer que esteja disposto a acolher uma orientação ou bênção sua.

    Papas são assim. João Paulo II perdoou o homem que atirou nele e inclusive pediu que a Justiça italiana revisse a condenação de prisão perpétua, o que foi feito.

    O atirador acabou solto depois de ter cumprido 19 anos de prisão. Antes disso o próprio papa foi visitá-lo na cadeia.

    Então vamos pensar que o papa Francisco tenha aceitado receber a visita de Lula acreditando que conseguiria levar a ele alguma consciência.

    Fatos, interpretações e desmentidos

    O problema foi o que aconteceu de fato durante a visita. O PT apressou-se em divulgar que eles discutiram assuntos como a situação da Amazônia e o clima político na América do Sul.

    O Instituto Lula tentou tirar vantagem política, publicando no Twitter que o momento tinha sido “histórico” e que o papa Francisco e Lula se encontraram para “discutir e pensar soluções para injustiças e desigualdades no mundo”.

    Claro que Dilma Rousseff, Gleisi Hoffmann e muitos outros petistas divulgaram essa versão. O próprio Lula tuitou que esteve no Vaticano para “conversar sobre um mundo mais justo e fraterno”.

    Depois correu nas redes sociais que o papa tinha concedido a Lula a “bênção dos inocentes”.

    De acordo com sites pró-Lula, a bênção seria dada apenas a alguém culpado por algo que não cometeu. Mas não há registro desse tipo de graça na Igreja.

     O Vaticano acabou emitindo nota negando que a bênção tenha sido concedida.

    Além disso ficamos sabendo que a visita sequer constava na agenda oficial do papa, aconteceu ala residencial do Vaticano, onde o papa mora.

    De tudo isso podemos concluir que o papa poderia ser mais cuidadoso com as visitas que recebe para não passar recados confusos aos milhões de fieis que a igreja católica ainda tem.

    E que Lula continua sendo Lula, assim como seus seguidores mais ferrenhos continuam acreditando até nas mentiras que ele conta.

  • 20fev

    YOU TUBE/JOVEM PAN

    Augusto Nunes: Heleno disse o que os brasileiros pensam

     

    Augusto Nunes comenta a declaração do general Augusto Heleno, que criticou o comportamento do Legislativo

     

  • 19fev

    DIÁRIO DO BRASIL/

    FALANDO O ÓBVIO – Guillermo Federico Piacesi Ramos, advogado

     

    Bolsonaro não foi “grosseiro com uma jornalista” e sim com uma militante de extrema-esquerda que faz política suja

     

    Bolsonaro não foi “grosseiro com uma jornalista” e sim com uma militante de extrema-esquerda que faz política suja

    É tão chato ter que falar o óbvio, mas infelizmente no Brasil quem se propõe a desmontar narrativas falaciosas é obrigado a fazê-lo:

    – O Presidente da República não foi “grosseiro com uma jornalista”, mas sim com uma militante de extrema-esquerda, que usa o fato de ser jornalista para fazer política suja e aética.

    – O Presidente da República falou que a jornalista em questão queria “DAR UM FURO de reportagem” a qualquer preço contra ele, o que é bem diferente de “ela queria DAR O FURO”. (vídeo abaixo).

    – Quem desvirtua a fala e coloca nela duplo sentido é a própria esquerda, que acha normal (1) um ex-presidente se referir às “mulheres de grelo duro”, (2) ou dizer que uma investigada em operação policial em um passado próximo, ao receber a visita de 5 policiais federais na sua residência, de manhã bem cedo, achou que “tinha recebido um presente”, e (3) um dos maiores advogados do Brasil dizer que os pais de uma Ministra de Estado não deveriam ter feito sexo, para ela (a Ministra) não ter nascido, (4) ou ainda do presidente da OAB chamar de puta uma advogada na rede social, para ofendê-la gratuitamente.

    – Hans River, a testemunha que os congressistas de esquerda dizem ter mentido na CPMI, já havia prestado depoimento ao MPF em dezembro passado e falou a mesma coisa do que no Congresso; então ele não mentiu.

    – A Folha de S.Paulo criou uma reportagem mentirosa e criminosa contra o Presidente da República, foi desmascarada, e agora parte para o movimento mais óbvio de um “esquerdista”: auto-vitimização e negação dos fatos.

    – Não há qualquer “movimento de indignação” das mulheres contra a fala do Presidente da República, que vem sendo vítima desses absurdos ataques de narrativa mentirosa, criada pela Folha de S.Paulo e pela jornalista em questão há um ano.

    – Se indignação das mulheres há, é contra a intenção de uso, por parte da militante de extrema-esquerda travestida na função de jornalismo, do sexo como meio de obter o que pretende para sua reportagem infamante. Isso sim indigna toda mulher de bem (e todo homem também, na verdade).

    – O que há, de fato, é a Guerra Cultural sendo lutada, ao vivo, pelo Presidente da República e a sociedade de bem contra a dominação hegemônica de esquerda provocada pelo Gramscismo: a cada pequeno avanço de nossa parte (da sociedade de bem), a reação é um desproporcional histerismo totalmente irracional e irascível.

    Se você não consegue enxergar isso, está com a visão turva ou, desculpe informá-lo, é, de fato, um esquerdista cooptado e nem percebe (como toda vítima do Gramscismo).

    (Guillermo Federico Piacesi Ramos, advogado)


    Bolsonaro disse: “Ela queria dar um furo” … e não ‘Ela queria dar o furo” conforme está sendo deturpado pela mídia podre

     

  • 15fev

    JORNAL DA CIDADE ONLINE

     

    O “Jogo de Xadrez” que envolve a morte do miliciano e a ida do general Braga Netto para a Casa Civil

     

    A ida de Braga Netto para a Casa Civil é muito emblemática e mostra que Bolsonaro é um grande estrategista.

    Braga Netto foi o responsável pela intervenção da Segurança Pública no Rio.

    Sabe exatamente TUDO sobre o crime organizado.

    Como Chefe da Casa Civil ele terá autonomia para ajudar Sérgio Moro a articular com os outros ministérios e com o Congresso todo o combate necessário.

    Bolsonaro nunca escondeu que essa era sua principal bandeira.

    Ao levar isso aos líderes do Congresso percebeu que havia uma resistência e que culpavam o Moro.

    A ideia inicial de tirar de Moro a Segurança Publica veio deles….

    E daí o estrategista Bolsonaro deu um nó em pingo d’água.

    Braga Netto é muito respeitado no Congresso.

    Como bônus, é inimigo número 1 de Witzel.

    Agora vamos ligar alguns pontos…

    A polícia do Rio estava junto com a polícia da Bahia no cerco ao Adriano, miliciano que teve ligações com o Flávio Bolsonaro no passado.

    A informação que quase ninguém sabia é que Adriano era um arquivo vivo.

    Segundo falam, arquivo vivo de muita sujeira do que acontece na PM do Rio e que envolve o esquema de propina de Sérgio Cabral, de petistas e da turma do Witzel.

    Adriano seria cremado em tempo recorde.

    Flávio Bolsonaro colocou a boca no trombone.

    A justiça proibiu a cremação…

    Agora a Veja traz uma matéria de que Adriano provavelmente foi executado…

    Como dá para ver, sua morte em nada tem a ver com interesse da família Bolsonaro… muito pelo contrário…

    No momento certo Adriano entregaria tudo…

    Adriano foi morto e Bolsonaro respondeu instantaneamente com Braga Netto na Casa Civil….

    Agora vocês começam a entender o por que de Onyx e Osmar Terra estarem concordando com toda essa reformulação, mesmo sendo “rebaixados” de cargo!!

    Xadrez é um jogo complexo…

    Mas quando se tem as peças certas e o time está unido, a vitória pode demorar… peças podem tombar no caminho… mas, no final, o rei acaba com o inimigo!!

    (Texto de Flavia Ferronato – Advogada – Coordenadora Nacional do Movimento Advogados do Brasil)

« Entradas anteriores   



Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota