Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 02jul

    CONTRAPONTO/CELSO NASCIMENTO

     

    Beto Richa, agora sete vezes réu

     

    Beto Richa agora é sete vezes réu em ações que tramitam na justiça criminal.

    Na tarde desta segunda-feira, o juiz da 23.ª Vara Criminal Federal, Paulo Sergio Ribeiro, acatou a denúncia do Ministério Público Federal que acusa o ex-governador de ter recebido ilegalmente R$ 3 milhões da Odebrecht para favorecer a empreiteira a vencer a licitação para duplicação – e posterior cobrança de pedágio – da PR-323, no Noroeste do estado.

    Esta ação é decorrente da Operação Piloto, aberta pelo MPF em 11 de setembro do ano passado e que levou Beto Richa à sua primeira prisão – concomitante com a prisão, também, pelo Gaeco, decretada no âmbito da Operação Rádio Patrulha.

    Além de Richa, estão indiciados nas ações penais Piloto I e Piloto II 14 outros agentes públicos e empresários:

    1. DIRCEU PUPO FERREIRA
    2. EZEQUIAS MOREIRA RODRIGUES
    3. JOSÉ MARIA RIBAS MULLER
    4. JOSE RICHA FILHO
    5. LUIZ ABI ANTOUN
    6. RAFAEL RIBEIRO DOS SANTOS GLUCK
    7. ADOLPHO JULIO DA SILVA MELLO NETO
    8. BENEDICTO BARBOSA DA SILVA JUNIOR
    9. DEONILSON ROLDO
    10. JORGE THEODOCIO ATHERINO
    11. LUCIANO RIBEIRO PIZZATTO
    12. LUIZ ANTONIO BUENO JUNIOR
    13. LUIZ EDUARDO DA ROCHA SOARES
    14. OLIVIO RODRIGUES JUNIOR

    Destes, viraram réus: Pepe Richa (por fraude à licitação, lavagem de dinheiro e corrupção passiva); Dirceu Pupo (lavagem de dinheiro); Ezequias Moreira Rodrigues (fraude a licitação, corrupção passiva e lavagem de dinheiro); Rafael Gluck (fraude à licitação); José Maria Ribas Mueller (fraude à licitação); e Luiz Abi Antoun (corrupção passiva e lavagem de dinheiro).

    O ex-governador já figurava como réu em duas ações derivadas da operação Quadro Negro, outra da Rádio Patrulha, nas duas operações Integração I e II, e numa antiga, ainda do tempo em que era prefeito de Curitiba, relativa a supostos desvios em verbas da saúde pública.

    Publicado por jagostinho @ 13:47



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.