Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 16out

    GAZETA DO POVO

     

    Seria melhor ter lançado Ciro, admite coordenador de campanha do PT

     

    Jaques Wagner (PT-BA) lembra que sempre defendeu acordo com Ciro Gomes, mas diz que esse é um “assunto superado”

     

     

    Senador eleito pelo PT na Bahia, Jaques Wagner concorda que melhor estratégia seria acordo com Ciro Gomes (PDT) | José Cruz/Agência Brasil

    Senador eleito pelo PT na Bahia, Jaques Wagner concorda que melhor estratégia seria acordo com Ciro Gomes (PDT) – Foto:- José Cruz/Agência Brasil

     

    Ex-governador da Bahia e senador eleito pelo PT, Jaques Wagner assumiu como coordenador da campanha de Fernando Haddad à presidência nos últimos dias e manifestou, nesta segunda-feira (15), que a melhor estratégia para uma vitória na corrida presidencial seria o lançamento de Ciro Gomes (PDT) ao Palácio do Planalto.

    Repetindo ser defensor de alternância de poder e do fim da reeleição, Wagner fez essa avaliação ao comentar uma proposta da senadora Katia Abreu que sugeriu a substituição de Haddad por Ciro Gomes para garantir a eleição.

    Wagner disse que esse era um assunto superado, mas ressaltou sempre ter defendido um acordo com Ciro.

    Questionado, então, se essa seria a melhor estratégia para o campo de esquerda, Wagner concordou, sob o argumento de que a campanha de Jair Bolsonaro se resume ao ataque ao PT.

    “O que eles têm a dizer? É anti-PT. É anti-PT”.

    Embora reconheça que o PT está estigmatizado, segundo suas próprias palavras, Wagner disse ter esperança de que o medo de Bolsonaro derrube resistências a Haddad neste segundo turno.

    “Se as pessoas tiverem mais medo dele do que raiva do PT, podem votar no Haddad. Não precisa amar o PT”.

    Wagner disse ainda ter esperança de uma declaração de apoio mais contundente de Ciro: “Não vou jogar a toalha. Ele pode enviar um live de onde ele estiver”, disse o ex-governador em referência ao fato de Ciro estar na Europa.

    Wagner acrescentou: “Alguém me disse que ele voltaria antes e anunciaria o apoio mais contundente”. Segundo Wagner, Haddad defende a amplitude das alianças como saída para a situação.

    Também integrante do comitê eleitoral petista, o tesoureiro do PT, Emídio de Souza, afirma que “essa campanha foi feita no submundo”.

    Segundo ele, as fake news estão deformando a vontade popular e as autoridades não estão atacando sua matriz.

    “A atuação do TSE está sendo frágil para combater o estímulo à violência na campanha. O TSE tem que coibir a fábrica de fake news”, diz.



    Publicado por jagostinho @ 12:24



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.