Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 09out

    BEM PARANÁ

     

    Um dia após eleição, Ratinho Jr quer ‘governo de união’ sem brigas políticas

     

    Disputas entre Executivo e senadores atrapalharam Estado, diz governador eleito

     

    Um dia após eleição, Ratinho Jr quer ‘governo de união’ sem brigas políticas

    (Foto: Franklin de Freitas)

     

    O governador eleito Ratinho Júnior (PSD) afirmou nesta segunda-feira (8), um dia após sua vitória no primeiro turno, que pretende fazer um governo de união, com o apoio da bancada federal e dos dois novos senadores eleitos, Oriovisto Guimarães (Pode) e Flávio Arns (Rede), para que o Paraná ganhe força política para trazer mais recursos federais para investimentos no Estado.

    Ratinho Jr disse que as brigas políticas entre governadores e senadores, nas últimas décadas, foram “uma tragédia para o Estado”, e avaliou que a derrota do senador Roberto Requião (MDB) e do ex-governador Beto Richa (PSDB) na eleição para o Senado mostra que a população está cansada desse tipo de política.

    “Vou procurar essa semana inclusive (os novos senadores). É possível. O gesto de união. Me dou muito bem com os dois (Oriovisto e Arns). Chegou um novo momento para o Estado do Paraná”, disse Ratinho Jr, afirmando que no passado, governadores e senadores “nunca se falaram”, o que prejudicou a articulação política do Estado junto à União.

    “Vocês já viram uma reunião nos últimos quinze anos do governador com os senadores? Isso é muito ruim, é trágico para o Estado. Eu quero a cada 30, 40 dias estar em Brasília, se reunir com a bancada. Brasília é força política. Quando você se chega com um ministro, o governador com dois senadores, 30 deputados, isso tem peso na decisão do ministro em trazer recursos para o Estado. Nós temos que usar essa força”, defendeu.

    “O Paraná perdeu muito tempo. O Rio Grande do Sul recebeu quatro vezes mais recursos que o Paraná nos últimos quatro anos”, destacou.

    Derrotados
    “Se você analisar o cenário nacional, os políticos tradicionais, que tiveram a sua importância, mas todos eles acabaram; no Maranhão, a família Sarney, a governadora perdeu e o irmão perdeu para senador. Em vários estados aconteceu”.

    “Hoje as pessoas querem um conceito de governo, da política. Esse negócio da pessoa fazer da política uma profissão, as pessoas não querem mais”, disse o governador eleito, sobre a derrota de Requião e Richa.

    Prefeitos
    O governador eleito também afirmou que pretende manter o mesmo tipo de relacionamento com os prefeitos, inclusive com Rafael Greca (PMN), de Curitiba, que na eleição para o governo apoiou a candidatura à reeleição da governadora Cida Borghetti (PP).

    “Eu tenho consciência do momento que estamos vivendo. O Paraná sofreu demais com brigas políticas. Nos últimos 20, 30 anos, os senadores não falavam com o governador, o governador não falava com os senadores”.

    “A bancada de deputados não era unida. Isso tem que acabar. Eu quero fazer um governo de União. Unir os paranaenses em torno de um projeto para melhorar a vida das pessoas”, explicou.

    “Quando eu falo que é possível fazer um governo moderno, não é só na tecnologia. É nas atitudes, de você unir. Eu quero sentar já essa semana com os dois senadores eleitos pelo Paraná, Oriovisto e Flávio Arns, que são duas pessoas de bem, sérias, apaixonadas pelo Paraná”.

    “Quero falar com todos os prefeitos. É um governo de união. Vamos trabalhar muito por Curitiba, independente se o prefeito esteve comigo”, garantiu.

    Transição
    Ratinho Jr disse que já conversou com a governadora e deve se reunir com ela nos próximos dias para montar a equipe de transição.

    “A parte que mais preocupa é a questão das finanças. Nós sabemos que o Paraná arrecada R$ 59 bilhões, mas gasta R$ 59,5 bilhões. Então existe um defictizinho ainda. Está equilibrado, mas não tem gordura para gastar”, explicou.



    Publicado por jagostinho @ 13:53



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.