Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 21jan

    PORTAL BANDA B

     

    Motorista multado antes de acidente explica silêncio e diz que suspensão de júri foi a gota d’água

     

     

     

    O motorista multado quatro minutos antes do acidente envolvendo o ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho disse que a suspensão do júri foi a gota d’água que o levou a divulgar o documento – a infração coloca em dúvida a versão de “apagão” dos radares dada pela empresa responsável.

    Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (20), o rapaz, que preferiu não ter o nome revelado, declarou ainda que se omitiu por quase sete anos por medo de sofrer ameaças e retaliações.

    yared-4

    “O radar funcionava quatro minutos antes do acidente e depois não funcionava mais?”, questionou Yared. (Foto: Flávia Barros – Banda B)

    “Eu temi pela minha segurança e da minha família. Cada vez que o júri era adiado, eu me revoltava”.

    “Mas dessa vez, eu pensei ‘isso já está demais’, preciso achar essa multa e enviar para a família Yared. Podia ter sido eu a vítima do acidente”, afirmou o motorista.

    A multa foi registrada quatro minutos antes do acidente, na Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, por um radar que fica a cerca de 200 metros após o ponto da colisão.

    “Eu recebi a infração por passar um pouco acima da velocidade permitida ali no trecho. Ninguém mais sabia disso, a não ser os meus familiares. Eu fiquei com medo, porque a própria família das vítimas havia recebido ameaças, então imagine o que poderia acontecer comigo”.

    “Depois que tomei coragem para enviar o documento, me arrependi de não ter feito isso antes. Não sei o efeito que a multa terá no processo, mas vou ajudar no caso enquanto eu puder”, completou o motorista.

    Ele relatou, ainda, que não recebeu nenhum tipo de contato por parte da empresa responsável pelos radares, a Consilux, que alegou problemas nos equipamentos no dia do acidente. Ela ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso.

    “Que mistério é esse que não conseguimos revelar?”

    A deputada federal Christiane Yared, mãe de uma das vítimas do acidente, comentou que a revelação da multa mostra a estranheza de toda a situação.

    “Nós sabíamos que, em algum momento, informações como essa viriam à tona. O radar funcionava quatro minutos antes do acidente e depois não funcionava mais? O que realmente aconteceu naquela madrugada?”, questionou ela.

    De acordo com Yared, a multa será protocolada junto ao processo que corre no Ministério Público do Paraná (MPPR), investigado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

    “Essa apuração, que ocorre paralelamente à esfera criminal, tem como objetivo esclarecer se houve racha na ocasião do acidente e por que a imagem do posto de gasolina está adulterada. Por que o estabelecimento foi vendido após a ocorrência e nenhum funcionário ficou lá? Que mistério é esse que não conseguimos revelar? Nós precisamos entender o que houve naquela noite, para que tenhamos paz”, concluiu.

    Yared convida ainda outras pessoas que foram multadas no mesmo dia e próximo do horário do acidente, à 00h54 de 7 de maio de 2009, a entrarem em contato com ela.

     

    Multa foi divulgada pelo pai da vítima, Gilmar Yared, no Facebook. (Foto: Reprodução)

    Multa foi divulgada pelo pai da vítima, Gilmar Yared, no Facebook. (Foto: Reprodução)

     

    Autenticidade da multa

    A prefeitura de Curitiba informou que, com base nos dados repassados pela Consilux, confirma a autenticidade do auto de infração na Rua Ivo Zanlorenzi à 0h50 de 7 de maio de 2009, para um automóvel VW Gol 1.0. O radar que registrou a infração estava localizado na altura do número 940 da via, próximo ao Rio Barigui.

    Julgamento

    A uma semana do julgamento marcado para os dias 21 e 22 de janeiro, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu liminar em favor da defesa de Carli Filho.

    Com isso, o júri popular está suspenso e sem data para acontecer.

    O ex-deputado é acusado de matar dois jovens em um acidente de trânsito, em 2009, quando dirigia embriagado e em alta velocidade no bairro Mossunguê, em Curitiba.

    No recurso, a defesa do ex-parlamentar alega nulidade de provas e cerceamento de defesa.

    Agora, o ministro Gilmar Mendes, que está de férias, avaliará em fevereiro o mérito do Habeas Corpus pedido pelos representantes de Carli.

    O caso

    O acidente vitimou Gilmar Rafael Souza Yared, de 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, de 20. 

    Na ocasião, a acusação informou que o ex-deputado dirigia embriagado e tinha 130 pontos na carteira de habilitação por infrações de trânsito.

     

    XXXXX

     

    O Blog fez uma entrevista em 21 de Novembro de 2010, com a mãe Christiane Yared.

    Assista trechos da entrevista:-

     

    Se quiser assistir a entrevista na íntegra, ei-la:-

    aqui



    Publicado por jagostinho @ 11:43



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.