Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 15jan

    sem paciencia

     

    Recebi de um leitor do Blog e repasso sem modificar um vírgula sequer

     

    POR QUE DESISTI DO TRANSPORTE PÚBLICO EM CURITIBA.

    Nos últimos 6 anos tenho utilizado diariamente o transporte coletivo para me deslocar até o trabalho.

    Nesse período pude acompanhar a degradação do sistema em Curitiba, que me fez refletir se ainda vale a pena utilizar o transporte público.

    A conclusão, para o meu caso, é que não vale e vou explicar os motivos:

    1 – FALTA DE EDUCAÇÃO

    Parece que vivemos em uma selva, onde é cada um por si. As pessoas empurram, não pedem licença, não cedem lugares aos mais velhos, jogam lixo no chão, escutam música alta e etc.

    As estações tubo, salvo exceções, foram projetadas para embarque pela porta 3 e desembarque pelas portas 2 e 4.

    O óbvio seria embarcar pela porta 3 e se deslocar para o começo ou final do ônibus, mas as pessoas insistem em ficar apinhadas ali e pior desembarcam pela 3, atrapalhando o embarque.

    Nos terminais e estações maiores, as pessoas NÃO ESPERAM o desembarque para poder embarcar, gerando aquele empurra-empurra tenebroso.

    Os mais jovens, não cedem seu lugar, sentado, para os mais velhos. Fui ensinado desde pequeno, por meu pai e mãe, que devemos respeitar e ajudar os idosos.

    Temos os famosos “pula catraca” que na grande maioria são estudantes, que além de não pagarem a passagem ficam causando tumultos dentro dos ônibus.

    Esses pequenos exemplos, vão minando nossa visão de sociedade diariamente.

    2 – ECONOMICAMENTE NÃO VALE A PENA

    Eu percorro, 2 km em cada trecho para chegar ao meu trabalho. Um total de 4 km por dia, que me custam R$ 6,60.

    Com esse valor, coloco quase 2 litros de gasolina que farão meu carro rodar 18 km.

    No mês o custo seria:

    – Ônibus: R$ 145,20 (44 passagens)

    – Carro: R$ 34,00 (10 litros de gasolina ao custo de R$ 3,40/litro)

    No ano uma economia de R$ 1334,40 que pagariam meu IPVA, licenciamento, troca de óleo, troca de filtros e ainda outras pequenas manutenções.

    Vale a pena para aqueles que percorrem distâncias superiores a 8 km por trecho.

    3 – FALTA DE MELHORIAS NO TRANSPORTE

    A nossa queria Curitiba que sempre foi sinônimo de inovação, parou no tempo.

    – Não temos ar-condicionado em estações tubo e/ou ônibus;

    – Não temos tomadas para carregadores de celular;

    – Não temos aplicativos para acompanhar em tempo real onde estão os ônibus e horários;

    – Não temos bilhetes temporais;

    – Não temos conforto algum;

    – Não temos o Ligeirão Norte/Sul;

    – Não temos segurança;

    – Não temos a Integração com a Região Metropolitana;

    – Não temos ônibus novos e modernos;

    – Não temos outras opções.

    4 – REFÉNS DO MONOPÓLIO

    Os usuários do transporte são reféns de um monopólio que dura mais de 60 anos.

    Os donos do transporte público continuam dizendo que suas empresas quase não tem lucro e operam no vermelho.

    Quem manteria uma empresa por mais de 60 anos operando no vermelho?

    Operam com a frota reduzida ao limite, causando um verdadeiro caos dentro dos ônibus que andam entupidos nos horários de picos.

    As greves constantes afetam a cidade inteira os usuários e os não usuários, principalmente por que não temos outras opções e estamos “nas mãos” desse monopólio.

    5 – URBS

    A famosa “caixa-preta” da URBS continua fechada. Todo prefeito assume informando que fará uma revolução e tudo continua na mesma.

    Ela fica com quase 0,16 centavos por passagem para os “Custos de Administração”.

    Por esses motivos, deixarei de usar o transporte público de Curitiba e vários outros na minha situação farão o mesmo.

    Nós que fazemos pequenos trechos, somos aqueles que trazem mais lucros para o sistema e está na hora de exigirmos melhorias.

    Só quem usam o transporte, sabe o estado precário em que se encontra.

    Enquanto o prefeito Gustavo Fruet e o presidente da URBS Roberto Gregorio estão escondidos em seus gabinetes, existem milhares de Curitibanos sofrendo diariamente.

    Saiam do ar-condicionado e enfrentem os problemas de verdade.



    Publicado por jagostinho @ 11:43



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.