Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 22dez

    TRIBUNA –

     

    Sítio Cercado

     

    Prefeitura anuncia grande mudança em rua, mas nada acontece

     

    Cadê a calçada?

     

     

     

     

    Foto: André Rodrigues

     

    A Rua Quitandinha foi a via escolhida no Sítio Cercado pra virar calçadão, promessa da prefeitura desde 2013.

    As vantagens são inúmeras: humanizar o espaço, criar ponto de encontro pra comunidade local, aumentar a circulação de moradores da região, gerar a sensação de pertencimento, tornar o local mais atraente pras atividades de comércio e serviços, aumentar a segurança”.

    Isto foi o que enumerou o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), ao realizor os estudos técnicos e selecionou o local.

    Segundo o órgão, a via foi escolhida de acordo com a vontade da comunidade.

    “Ainda não existe prazo pra implantação do calçadão, pois dependemos da liberação de recursos. O próximo passo será a realização de um concurso pra elaboração do projeto. A data de lançamento do concurso também não está definida”, explicou, em nota.

    Controvérsias

    O fechamento da rua pra tráfego de carros descontenta comerciantes. Valmir Rinaldi, proprietário de um sacolão na esquina da Quintandinha com a Rua Palmas, não aprova o projeto.

    “Meus clientes querem vir com carro, se não puderem vir, vão comprar em outro lugar. Nós reunimos os comerciantes da região, fizemos um abaixo-assinado contra o fechamento pra carros e levamos para o prefeito”, afirma.

    Ele acredita que, caso sejam instalados bancos no calçadão e estrutura de praça, moradores de rua e usuários de drogas passarão a frequentar e dormir no local.

    O povo está dividido

    “Clientes querem vir de carro, se não, compram de outro”, diz Valmir. Foto: André Rodrigues.

    “Clientes querem vir de carro, se não, compram de outro”, diz Valmir. Foto: André Rodrigues.

     

    O Ippuc estudava outras duas possibilidades: ruas Rancho Alegre e Pastor Waldomiro Bileski. Dono de um bar na Rancho Alegre,

    Edson Raghatieri acredita que o fechamento atrapalharia o comércio.

    “Todos meus clientes vêm de carro, chega quarta-feira, a rua fica cheinha de carro estacionado do pessoal que vem ver o jogo de futebol. Se fechar a rua, perderemos o acesso à Izaac Ferreira da Cruz”.

    Já na Pastor Waldomiro Bileski, o fechamento pra carros é uma antiga demanda da direção da Escola Municipal Bairro Novo do CAIC Guilherme Lacerda Braga Sobrinho, cuja entrada fica na via.

    “Ajudaria na disponibilidade do espaço para circulação dos alunos e familiares. É um pedido que a escola faz já há alguns anos, porque a rua é usada pelos motoristas como atalho pra chegar à Avenida São José dos Pinhais, que tem grande movimento”, diz o vice-diretor do CAIC, Everton Luiz Camargo.



    Publicado por jagostinho @ 10:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.