Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 13ago

    REINALDO AZEVEDO 2BLOG DE REINALDO AZEVEDO – VEJA.COM

     

    Marcha das Margaridas – Dilma e o PT estão convictos de que os males da ilegalidade se enfrentam com mais ilegalidade

     

    A presidente Dilma Rousseff faria um bem enorme ao Brasil e até à sua própria biografia se parasse de usar o dinheiro público para promover baixa política — já dispõe dos instrumentos institucionais de defesa — e para defender o seu partido.

    Tenho a impressão de que ela anda um tanto alheia à realidade e está confundindo os conciliábulos de Brasília com a vontade da população.

    Voltou a passar dos limites nesta quarta. Numa solenidade de formatura de diplomatas, aludindo à possibilidade do impeachment, diz que o Brasil só será respeitado se respeitar o resultado das urnas.

    É um primado óbvio, verdadeiro em si, para uma questão falsa. Vamos adaptar o bom princípio à realidade em curso: o Brasil só será respeitado se respeitar as leis democraticamente pactuadas.

    Entre estas, estão aquelas que depõem a presidente da República caso ela cometa uma ou mais de uma série de transgressões. Elas estão previstas na Lei 1.079 e no Código Penal e têm prescrição constitucional.

    Assim, minha cara presidente, no caso em tela, a depender do que se queira dizer, respeitar o resultado das urnas pode significar fazer um pacto com a ilegalidade.

    Sou mais claro caso o sentido lhe pareça obscuro: caso se considere que a senhora cometeu crime de responsabilidade — eu, por exemplo, acho isso evidente —, respeitar a vontade das urnas (uma vontade que já não existe mais, diga-se) corresponde a respeitar o espírito das leis que abriga essas urnas.

    E a senhora tem de ser afastada. Caso fique claro que cometeu crime eleitoral, sua diplomação será cassada, com a consequente perda de mandato.

    Urna não é tribunal de absolvição e não dá o direito ao governante de fazer qualquer coisa.

    GOVERNOS SÃO ELEITOS, MINHA SENHORA, NA DEMOCRACIA, PARA RESPEITAR AS LEIS.

    Verga, mas não quebra
    Dilma, a ex-seguidora de Lênin, compareceu à Marcha das Margaridas “PTeladas”, uma patuscada de esquerda, realizada com dinheiro público: R$ 400 mil da CEF, R$ 400 mil do BNDES e R$ 55 mil da Itaipu Binacional.

    Não citou Lênin, embora o espírito, digamos, armado se fizesse ali presente.

    Preferiu citar o cantor e compositor Lenine e declamou: “Em noite assim como esta / eu cantando numa festa / ergo o meu copo e celebro / Os bons momentos da vida / e nos maus tempos da lida / eu envergo mas não quebro”.

    Eu sempre fico muito constrangido em momentos assim; sinto a tal vergonha alheia.

    Dilma deveria é ter senso de limite e se poupar, e nos poupar, de comparecer a um evento claramente manipulado, com financiamento oficial.

    Na prática, os cofres púbicos financiam um ato de propaganda política e pessoal da presidente.

    É o petrolão por outras vias, com menos dinheiro.

    Ora, Dilma foi fazer proselitismo entre as tais “Margaridas” no dia seguinte à intervenção de Lula, depois de as ditas “agricultoras” terem pedido a cabeça de Eduardo Cunha (PMDB-RS), o que fizeram, também isso!!!, com dinheiro da população.

    Cadê o Ministério Público Federal? Respondo: tinha sido jantado na noite anterior pela própria presidente, na figura de Rodrigo Janot, que participou do beija-mão palaciano.

    Não percamos isto de vista: sob o pretexto de combater golpismo e ilegalidade, Dilma cometeu uma ilegalidade com vistas a um golpe: impedir o livre e claro exercício da Constituição e das leis.

    É claro que um é acinte Dilma comparecer a um evento com as características que teve a tal marcha.

    Tocqueville dizia que os males da liberdade se combatem com mais democracia.

    Dilma e o PT estão convictos de que os males da ilegalidade que eles cometem se enfrentam com mais ilegalidades.

    Publicado por jagostinho @ 10:26



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.