Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 06maio

    GAZETA DO POVO

     

    Para aliviar desgaste com a ação da PM, Richa discute troca de secretários

    Titulares da Segurança, da Casa Civil e da Educação estariam ameaçados. Comandante
    da Polícia Militar também pode cair

    Protesto desta terça-feira tinge de vermelho-sangue o espelho d’água do Palácio Iguaçu: mudanças de secretários e de discurso para reverter imagem negativa.Foto:-Antônio More/Gazeta do Povo

    Protesto desta terça-feira tinge de vermelho-sangue o espelho d’água do Palácio Iguaçu: mudanças de secretários e de discurso para reverter imagem negativa.Foto:-Antônio More/Gazeta do Povo

    Depois de ver a desaprovação popular maciça da atuação policial na “batalha” do Centro Cívico, que completa uma semana nesta quarta-feira (6), o governo estadual discute internamente uma série de substituições no alto escalão para atenuar o desgaste com o episódio.

    Dentre os secretários com o cargo ameaçado estão Fernando Francischini, da Secretaria de Segurança, e Eduardo Sciarra, da Casa Civil.

    Outras trocas apuradas pela Gazeta do Povodevem ser na Secretaria da Educação, no comando da Polícia Militar (PM) e na representação do Paraná em Brasília.

    Apenas esta última foi confirmada oficialmente pelo governo até a noite desta terça-feira (5).

    A vice-governadora Cida Borghetti (Pros) foi nomeada para o Escritório de Representação Política no Distrito Federal, substituindo Amauri Escudero, que estava no cargo desde o início do governo Beto Richa (PSDB).

    Esposa do deputado federal Ricardo Barros (PP), vice-líder do governo Dilma Rousseff (PT) na Câmara, Cida Borghetti é vista como peça-chave para articular assuntos do estado em Brasília.

    Essa substituição não tem relação com os incidentes do Centro Cívico. As demais, porém, guardam relação com a forma como foi conduzida a crise com os professores.

    Tido como intransigente e com pouca capacidade de diálogo, Fernando Xavier Ferreira deve sair do comando da Educação.

    Quem tende a entrar éJoão Carlos Gomes, atual secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

    Na PM, é esperada a saída do comandante-geralCésar Kogut, que assumiu a culpa pelos excessos no dia 29.

    Francischini também afirmou, à imprensa, que as decisões do episódio teriam sido tomadas diretamente pela PM, se isentando de culpa.

    A terça-feira foi tomada por várias reuniões da alta cúpula para tratar das substituições, incluindo conversas com Francischini e Kogut.

    À noite, tanto a Secretaria de Segurança quanto a PM informaram, que, por ora, não havia alterações formais em seus quadros.

    Tampouco havia definição sobre a possível saída de Sciarra na Casa Civil – apontado pela oposição como quem ordenou à PM “meter bomba” nos manifestantes. O secretário nega a acusação.

    As possíveis trocas seriam uma resposta do governo Richa para se recuperar do desgaste do conflito em frente da Assembleia Legislativa, que teve como saldo mais de 200 pessoas feridas.

    Desde o dia 29, o estado viu várias manifestações populares de indignação contra o episódio.

    Milhares de pessoas foram às ruas protestar na quinta (30), sexta (1.º) e nesta terça (5). Houve grito generalizado de “fora, Beto Richa” no estádio Couto Pereira – que uniu as torcidas do Coritiba e Operário na final do Campeonato Paranaense – e na plateia do Teatro Guaíra, durante o show do rapper Criolo.

    Prevendo novas levas de greves e manifestações, o governador teria decidido mudar a forma com que estava lidando com a situação – o que inclui as mudanças no secretariado e o reconhecimento de que houve excessos na ação da Polícia Militar na semana passada.

    MP ouve 80 testemunhas

    Cerca de 80 pessoas prestaram depoimentos e 150 e-mails, com imagens e vídeos, foram recebidos pelo Ministério Público do Paraná (MP) nas investigações sobre os excessos na repressão da manifestação dos professores no último dia 29.

    O MP apura se houve crime e violação de direitos humanos no incidente.

    Quem desejar colaborar com as investigações pode enviar imagens e fotos pelo e-mail [email protected], criado pelo órgão exclusivamente para receber denúncias.

    Dança das cadeiras

    O governo do Paraná começou nesta terça-feira (5)a promover mudanças no primeiro escalão, mas ainda sem relação com a batalha do Centro Cívico.

    Veja qual foi essa mudança e quem pode sair do governo nos próximos dias:

    mudança confirmada

    Escritório do Paraná em Brasília

    Sai: Amauri Escudero

    Entra: Cida Borghetti (vice-governadora).

    especulações

    Secretaria da Segurança

    Sai: Fernando Francischini
    Entra: indefinido

    Comando da PM

    Sai: César Kogut
    Entra: indefinido

    Casa Civil

    Sai: Eduardo Sciarra
    Entra: indefinido

    Secretaria da Educação

    Sai: Fernando Xavier Ferreira
    Entra: João Carlos Gomes

    Publicado por jagostinho @ 12:28



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.