Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 05maio

    SPORTV

     

    Galvão Bueno elogiou o publicitário e empresário João Dória Jr, convidado para ser o chefe da delegação da Seleção durante a disputa da Copa América, no Chile.

    No entanto, o apresentador do programa “Bem, Amigos!” discordou do convite feito pela CBF (assista ao vídeo).

    – Fiquei surpreso. É um homem extremamente competente em aproximar pessoas para fazer negócios, mas não tem nenhuma ligação, nem nunca teve, com o mundo do futebol.

    Juro que não consigo entender, que me pegou de surpresa. Fiquei tonto com a história, porque o que tem a ver uma coisa com a outra? (…) Acho um convite sem pé nem cabeça – disse Galvão.

    João Dória aceitou o convite e estará presente com o grupo a partir do dia 1º de junho, quando os jogadores se apresentam na Granja Comary, em Teresópolis, região serrana do Rio de Janeiro.

    O publicitário foi secretario de Turismo e presidente da Embratur. Galvão Bueno citou o chefe da delegação do Brasil na Copa do Mundo de 1990 para depois deixar no ar a pergunta sobre algum problema que venha acontecer na Copa América.

    João Dória Jr. será chefe da delegação brasileira na Copa América (Foto: Reprodução)
    João Dória Jr. será chefe da delegação brasileira na Copa América (Foto: Reprodução)

    João Dória Jr. será chefe da delegação brasileira na Copa América (Foto: Reprodução)

    – Me lembro que na Copa de 1990, o Ricardo recém assumindo a condição de presidente, convidou uma pessoa extremamente competente no mundo dele, no mundo dos negócios, o Olavinho, o Olavo Monteiro de Carvalho.

    Não tinha nada uma coisa a ver com a outra. Se tiver um problema durante a Copa América e se tiver uma reunião, quem vai?

    É o chefe de delegação. Se tiver uma reunião de arbitragem, quem vai? É o chefe de delegação – questionou Galvão.

    O comentarista de arbitragem Arnaldo Cézar Coelho acredita que o cargo de chefe da delegação é para homenagear a pessoa.

    – Acho que as atribuições são pequenas. É muito mais um cargo de honra, muito mais um cargo para homenagear uma pessoa que faz esse tipo de trabalho (…)

    Quando se convida o presidente da federação do Acre, da Bahia, também se faz esse tipo de pergunta e a gente acompanha, porque a gente viaja com a Seleção.

    Esses presidentes são meramente pessoas que representam o futebol brasileiro nas solenidades, nas embaixadas, nas festas – disse Arnaldo.

    Outro questionamento feito por Galvão Bueno é se esse convite não deveria ser feito para alguém que já tenha feito ou que venha a fazer algo pelo futebol.

    – Não teria que ser alguém que fizesse um trabalho pelo esporte? Não teria que ser alguém que já tivesse feito algo pelo futebol ou que venha fazer algo pelo futebol – perguntou.

    O narrador Cléber Machado acrescentou que a chefia de delegação deveria ficar a cargo de um diretor exclusivamente designado para cumprir esse papel.

    Cléber lembrou de Paulo Machado de Carvalho, ex-presidente do São Paulo que chefiou a delegação antes da Copa de 1958 e liderou a projetação da participação da Seleção na competição realizada na Suécia.

    Publicado por jagostinho @ 14:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.