Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 14set

    ESTADÃO CONTEÚDO

    EMPREITEIRAS NEGOCIAM PARA REVELAR DETALHES DA CORRUPÇÃO NA PETROBRAS, DIZ JORNAL

    Acordo de leniência permitiria que duas das maiores empreiteiras do país colaborassem com investigação em troca de redução de penas

    Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, que assinou acordo de delação premiada: leniência é dispositivo semelhante, para empresas que colaboram com investigações

    Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, que assinou acordo de delação premiada: leniência é dispositivo semelhante, para empresas que colaboram com investigações (Daniel Castellano/AGP/Folhapress/VEJA)

    Representantes de duas empreiteiras que têm contratos com o governo, e que estão entre as sete maiores do país, negociam com o Ministério Público Federal (MPF) acordo para detalhar sua participação em desvios de dinheiro da Petrobras, informa neste sábado o jornal O Globo. Em troca da colaboração, as empresas querem a redução de penas nos processos criminais.

    Os representantes das empreiteiras propuseram um acordo de leniência, espécie de delação premiada para empresas acusadas de crimes. Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, e ex-funcionários do doleiro Alberto Youssef já colaboram com as investigações, a fim de reduzirem suas penas ou ganharem imunidade.

    Segundo o jornal, uma das autoridades responsáveis pelas investigações confirmou a possibilidade do um acordo de leniência, mas ressalvou que as exigências para isso são grandes. Os representantes das empreiteiras precisam confessar os crimes cometidos, detalhar o esquema de desvio de dinheiro, pagar multas proporcionais aos danos aos cofres públicos e se comprometer a não cometer novos delitos.

    Recentemente, um acordo semelhante assinado pela empresa alemã Siemens trouxe à tona detalhes sobre a formação de cartel que tinha objetivo de superfaturar contratos das linhas de trens e metrô de São Paulo. Trinta executivos de 12 empresas foram denunciados à Justiça em março deste ano.

    Publicado por jagostinho @ 09:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.