Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 13set

    UCHO.INFO

    presidenciaveis_08 Divulgada nesta sexta-feira (12), a mais recente pesquisa Ibope soe a corrida presidencial, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) em primeiro lugar com 39% das intenções de voto, seguida por Marina Silva (PSB), com 31%, e Aécio Neves (PSDB), com 15%.

    Os demais candidatos, juntos, somam 2% das intenções de voto. Entrevistados que declararam voto nulo ou não sabem são 8%, enquanto que os indecisos somam 5%.

    Os resultados da pesquisa Ibope, realizada os últimos dias 5 e 8, são próximos aos do levantamento feito pelo Datafolha, feito entre os dias 8 e 9 e divulgado na última quarta-feira (10).

    A decisão de divulgar a pesquisa Ibope somente nesta sexta-feira foi do contratante, a CNI.

    A recente pesquisa Datafolha, divulgada na quarta feira, apontou Dilma com 36% das intenções de voto, Marina com 33% e Aécio com 15%.

    Ou seja, as posições dos candidatos na disputa são as mesmas, mas os percentuais dos dois primeiros colocados são diferentes, mas dentro do que se poderia chamar de margem de erro.

    Mesmo assim, essa diferença, mesmo que pequena, pode decidir a eleição presidencial, pelo menos por enquanto.

    De acordo com a pesquisa Ibope, em um eventual segundo turno entre Dilma e Marina, a ex-senadora teria 43%, enquanto que candidata do PT alcançaria 42%. No segundo turno, brancos e nulos somam 10% e indecisos, 5%.

    O cenário revelado pelas duas últimas pesquisas (Datafolha e Ibope) obriga uma análise mais detalhada dos dados.

    A situação de Dilma no Sudeste é muito complicada, pois Marina Silva aparece sempre à frente. Considerando o fato de que essa região do País concentra os três maiores colégios eleitorais (São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro), Dilma precisará de expressiva votação no Norte e no Nordeste para compensar a perda nos três estados.

    Isso não é tarefa fácil, mas Dilma tem a seu favor o equivocado programa Bolsa Família, que há anos vem disponibilizando ao PT uma espécie de curral eleitoral.

    O que explica a atitude covarde e rasteira de Dilma de afirmar que no caso de Marina Silva ser eleita o Bolsa Família corre o risco de ser extinto.

    Outro fator importante é que a rejeição de Dilma é a mais alta entre todos os candidatos, chegando a 42%.

    Nesse quesito, o tucano Aécio Neves aparece em segundo lugar com 35%, enquanto a que a ambientalista Marina Silva tem 26%.

    Em outras palavras, Dilma é a candidata com maior dificuldade para conquistar os votos que lhe faltam para garantir uma vitória nas urnas. Por isso o jogo sujo e baixo do PT contra a ex-ministra do Meio Ambiente.

    Tomando por base a avaliação do governo de Dilma Rousseff, se a pesquisa fosse feita hoje a candidata petista teria 31,5% de intenções de voto.

    Isso porque 38% dos entrevistados pelo Ibope consideraram o governo Dilma como “ótimo ou bom”, enquanto que 33% disseram ser “regular”. Esses dois números são suficientes para avaliar a real possibilidade da petista na corrida presidencial.

    Considerando o parágrafo anterior, a candidata Marina Silva precisará contar com o apoio do PSDB no segundo turno. Acontece que nesse caso há duas vertentes que devem ser analisadas.

    Quando Eduardo Campos ainda estava vivo e encabeçava a chapa do PSB, Marina inviabilizou algumas coligações estaduais com os tucanos. E isso deve pesar contra a candidata.

    Por outro lado, em São Paulo, maior colégio eleitoral do País, o candidato a vice na chapa do governador Geraldo Alckmin, que tenta a reeleição, é Márcio França, um dos integrantes históricos do PSB e responsável pelas finanças da campanha de Marina.

    Para finalizar, o que chama a atenção nesse quadro é que Marina Silva poderá contar com o chamado “voto útil”, pois é cada vez maior o contingente de eleitores dispostos a qualquer sacrifício para sacar o PT do poder central depois de doze anos de inoperância e corrupção.

    Em suma, a situação de Dilma tende a piorar e a pancadaria petista deve crescer de maneira assustadora, com direito a mentiras de todos os matizes.

    Publicado por jagostinho @ 18:53



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.