Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 04nov

    ELIANEELIANE CANTANHÊDE  –  jornalista e colunista da FOLHA. É também comentarista do telejornal “Globonews em Pauta”.

     

    Eike Batista tinha o império X, bem de acordo com a paixão da família pelo Japão. Mas as empresas ruíram e o que sobra é uma grande história a ser contada, com cenários de contos de fadas, bastidores sórdidos, personagens controvertidos.

    De um lado, o mítico Eike, que teve tudo na vida, foi casado com o símbolo de desejo do país e sonhou ser o homem mais rico do mundo. Chegou bem perto, na 8ª posição.

    De outro, os médicos, engenheiros e assalariados em geral que jogaram nas chamas da assembleia do reino de Eike seus recursos, sua inocência e a falta de informações confiáveis. Foram dormir acreditando na solidez e nas perspectivas apetitosas das companhias de Eike. Acordaram num pesadelo sem fim.

    Essas histórias pavorosas se repetem, com empresas que estavam no céu e vieram abaixo a caminho do inferno, levando de roldão as economias de seus clientes como se fossem dízimos de fiéis incautos.

    Há a lembrança fresca da Encol, que, dias depois de reluzir na capa da “Gazeta Mercantil” como estrela entre as empreiteiras, deixou na mão 11 mil funcionários e 42 mil crentes (como eu) que compraram imóveis e nunca receberam nem o imóvel nem o dinheiro de volta.

    E quem se esqueceu de Edemar Cid Ferreira, do Banco Santos, e Ângelo Calmon de Sá, do Econômico? Eles tinham riqueza, ostentavam riqueza, exalavam riqueza.

    O mundo deles desabou na cabeça dos que foram levados a acreditar num reino de Deus aqui na terra brasilis. No céu, o lucro era principalmente deles. No inferno, a desgraça maior é dos correntistas e investidores.

    Eike Batista deve tantas explicações quanto Edemar, Ângelo e Pedro Paulo de Souza, da Encol, entre tantos “pastores” que estão por aí. Quem, como, onde e por quê? De onde veio e para onde foi o dinheiro?

    Entre meias verdades, as vítimas vão para o inferno e os réus ficam eternamente no limbo da boa vida.

    Publicado por jagostinho @ 18:56



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Nascimento Disse:

    Até agora era o queridinho do PT. Dinheiro fácil do BNDES e outros tais. Agora a pergunta: O PT vai devolver o dinheiro para o povo por incapacidade de avaliação na hora de emprestar? Ou vai tudo no c.. do povo?

  • Dirceuzaõ Disse:

    O que vem fácil , vai fácil. Só imbecis não percebem isso. A conta o povo vai pagar. Dilma vai sentir na carne os efeitos nas eleições do ano que vem.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.