Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 23ago

    repassando6

    BLOG DO ZÉ BETO

    por Célio Heitor Guimarães

    O governo da companheira Dilma negou, desmentiu, desconversou e acabou fazendo exatamente o que todo mundo sabia que ia fazer: “comprou” quatro mil médicos de Cuba (os primeiros quatrocentos estão chegando ao país).

    Sim, comprou, porque a ilha dos irmãos Castro exporta médicos como mercadoria.

    A confirmação partiu do próprio ministro da Saúde do Brasil, que declarou que o governo pagará a Opas (?) – tinha que ter intermediário no negócio!…–, o valor equivalente à remuneração dos demais profissionais contratados pelo Mais Médicos (R$ 10 mil).

    Com uma pequena diferença: o pagamento será entregue ao governo cubano, que o repassará aos médicos locais. Mas o ministério não sabe nem quer saber quanto será entregue aos profissionais.

    Segundo o ministro, não cabe ao governo brasileiro fazer esse questionamento. Então, tá.

    Já tratamos disso aqui, no final e junho, e a fórmula é a mesma utilizada no acordo com a Venezuela de Chávez e com a Bolívia de Morales: Cuba “cede” seus esculápios, mediante pagamento ao regime dos Castro.

    Quer dizer, tais facultativos são enviados como produto exportável, uma mercadoria. Além do que, os médicos saem, mas suas famílias não – ficam retidas como uma espécie de garantia.

    Do salário ganho fora do país, os médicos cubanos recebem apenas uma pequena parte. A outra, a maior, fica com o governo de Havana.

    Disse o repito: aqui no Brasil chamamos isso de patifaria e de trabalho escravo. Mas a doutora Dilma e o doutor Alexandre Padilha estão de acordo, chancelaram o acordo e ainda o anunciam como grande benefício (Para quem, ó caras pálidas?).

    Segundo o doutor Padilha, todos os cubanos têm residência médica em medicina da família e 30% têm pós-graduação em outras especialidades.

    Como Cuba também tem servido médicos não apenas à Venezuela, à Bolívia e a outros países latino-americanos, além de a Portugal, é de se supor que forme clínicos em série e disponha que ampla linha de montagem.

    Sabe-se, contudo, que tais médicos não serão avaliados profissionalmente aqui e nem passarão pelo teste do Revalida, dos ministérios da Educação e da Saúde antes de entrarem em ação. 

    Resta-nos recomendar que a população fique de olho, tome cautela e denuncie, alto e em bom som, qualquer mau atendimento ou pixotagem dos novos doutores. Reclamações diretas ao Palácio do Planalto.

     

    Publicado por jagostinho @ 13:56



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.