Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 22jun

    GILMAR PIOLLA – FACEBOOK

    gilmar_piola__presidente_do_fundo_iguacuLivre pensar é só pensar, dizia Millôr Fernandes. Isso vale para a comunicação na era das redes sociais. Livre comunicar é só comunicar. Porque a comunicação do futuro será totalmente livre e interativa. 

    A mídia tradicional está perplexa com os últimos acontecimentos, assim como os partidos políticos e os movimentos sociais.

    E todos acabam a reboque deles. 

    Foi assim no mundo árabe. Foi assim na Itália, na Grécia, na Turquia. E está sendo assim no Brasil.

    A comunicação pelas redes sociais mostra uma força inesperada e, numa aparente anarquia, dita os rumos de tempos em que já não será mais possível manipular a informação. 

    Os cidadãos Kanes do mundo atual que se acautelem. Já não é só deles a palavra final.

    Pela internet, a informação chega onde e na hora em que a gente a busca. Já não se é refém do noticiário das oito, das nove, das dez.

    Já não é preciso esperar 24 horas para ler no jornal o que aconteceu na porta de casa.

    Os celulares, tablets e smartphones representam a câmera na mão e uma ideia na cabeça, apregoada por Glauber Rocha.

    A vanguarda dos anos 60 e 70, que enfrentou a repressão com inteligência e ousadia, mas com os parcos recursos de então, jamais imaginaria o poder que hoje está nas mãos da massa. 

    Ainda não é possível medir os benefícios de tanta informação ao alcance de todos, mas o que fica claro é que o conceito de comunicação mudou.

    Aos profissionais, cabe buscar seu espaço neste novo tempo. 

    Quem trabalha na comunicação social de grandes empresas e órgãos públicos tem hoje um desafio cada vez maior.

    Comunicar tornou-se uma tarefa confusa, difusa e profusa.

    É preciso contemplar os meios tradicionais de informação, porque não se pode prescindir deles para atingir o grande público.

    Mas uma estratégia de comunicação deve levar em conta variáveis que, poucos anos atrás, seriam impensáveis.

    Para ter acesso aos jovens, principalmente, e ao público mais escolarizado, é preciso falar a linguagem das redes sociais, acompanhar o mundo que da internet ganha as ruas, dita comportamentos, quebra regras e anula restrições.

    O mundo virtual está nas ruas. E está incorporado agora ao mundo real. Já não existem mais diferenças entre ambos.

    Quem não compreender essa metamorfose e essa mudança de paradigmas, pode ficar sem ter com quem falar.

    Ou falar no vazio.

    Publicado por jagostinho @ 13:23



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.