Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 21jun

    UOL NOTíCIAS

    • Foto : Pablo Jacob/Agência O Globo

      Milhares de manifestantes caminham pela avenida Presidente Vargas, no centro do Rio de JaneiroMilhares de manifestantes caminham pela avenida Presidente Vargas, no centro do Rio de Janeiro

    Mais de 1 milhão de pessoas participaram de protestos em várias cidades do Brasil nesta quinta-feira (20). Entre muitos atos pacíficos, houve registro de violência em confrontos entre manifestantes e policiais e atos de vandalismo em várias cidades.

    No interior de SP, um participante de protesto morreu atropelado. Os protestos ocorreram em várias capitais e em cidades de grande e médio nas cinco regiões do país.

    O crescimento da onda de protestos levou a presidente Dilma Rousseff a convocar uma reunião de emergência para esta sexta-feira (21).

    A situação foi tensa em Brasília, onde, após tentarem entrar no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto, manifestantes depredaram o Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.

    No Rio de Janeiro, em Salvador, Belém, Campinas,Porto Alegre e Fortaleza, também houve confronto de manifestantes com a polícia.

    Em Ribeirão Preto (SP), um manifestante morreu e outros três foram atropelados por um homem que fugiu após o fato.

    Em Brasília, os choques deixaram 137 pessoas pessoas feridas, três delas em estado grave.

    No Rio de Janeiro, mais de 40 pessoas ficaram feridas.

    Além do pedido de mais qualidade e tarifas mais baixas no transporte público, tema que originou a onda de protestos, as “bandeiras” dos manifestantes agora reúnem uma série de outros motes:

    o uso de dinheiro público em obras da Copa do Mundo, melhorias nas áreas de saúde, educação e segurança, combate à corrupção, a PEC 37 (mudança de lei que pode tirar o poder de investigação do Ministério Público), além de outras questões e insatisfação generalizada contra governantes.

    A maior mobilização popular desde o início das ondas de protestos ocorreu um dia após os anúncios de revogação de aumento de tarifa de transporte coletivo em várias cidades do país, como Rio de Janeiro e São Paulo.

    Publicado por jagostinho @ 10:49



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.