Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 21jun

    Erick Gimenes e Thais Kaniak – G1 PR

    Santos Andrade (Foto: Rodrigo Saviani)
    Parte dos manifestantes encerrou o protesto em frente ao prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na Praça Santos Andrade (Foto: Rodrigo Saviani / G1)

     

    Cerca de 3.500 pessoas participaram do protesto organizado pelo Movimento Passe Livre, em Curitiba, nesta quinta-feira (20), de acordo com a Polícia Militar.

    Os manifestantes se reuniram na Boca Maldita, no Centro, e se dividiram em dois grupos – um seguiu até o Palácio Iguaçu, no Centro Cívico, e outro para a Praça Santos Andrade, no Centro.

    Além do passe livre, os manifestantes reivindicavam pelo fim da corrupção e contra a PEC 37, entre outras pautas.

    “A redução da passagem é um avanço, mas pode ser uma manobra. Nossa proposta agora é congelar o preço. Não queremos radicalizar, mas, sim, dialogar. Se houver violência, vai ter reação”, afirmou a autônoma e integrante do Movimento Passe Livre de Curitiba, Luana Martins, de 23 anos.

    Na tarde de quinta-feira, o prefeito Gustavo Fruet (PDT) anunciou a redução de R$ 0,15 na tarifa do transporte coletivo a partir do dia 1º de julho. A passagem vai cair de R$ 2,85 para R$ 2,70.

    A aposentada Maria Neuza Rosas, de 62 anos, também participou da manifestação.

    “Estou aqui para ajudar os jovens brasileiros. Todas as pessoas de minha idade também deveriam estar nas ruas. O Brasil está uma anarquia completa”.

    A chuva e o frio de 9ºC não desanimaram os participantes do movimento.

    “A manifestação de hoje é bem menor, mas tem mais impacto. Ninguém seria louco de sair na nesta chuva à toa. Hoje, o ato é de verdade. Não é modinha”, disse o estudante de engenharia de produção, Rafael Sanfilippo, de 18 anos.

    Manifestação (Foto: Thais Kaniak)
    Chuva e frio não desanimou os manifestantes na noite desta quinta-feira (20), em Curitiba (Foto: Thais Kaniak / G1)

     

    No trajeto, os manifestantes de ambos os grupos passaram em frente à Prefeitura de Curitiba, onde pararam alguns minutos. O vidro da fachada do prédio da prefeitura foi quebrado por alguns vândalos.

    Após a breve parada em frente à prefeitura, os participantes seguiram os destinos finais da passeata.

    A passeata correu sem nenhuma intervenção policial até o fim da manifestação, quando a maioria dos participantes já tinha se dispersado.

    Houve confusão em frente ao Palácio Iguaçu e seis pessoas foram detidas, conforme a polícia, após depredarem o patrimônio público.

    Janelas, portas e câmaras de segurança foram quebradas. Os vândalos foram presos por policiais que estavam no local à paisana. Segundo a polícia, os detidos foram encaminhados para a delegacia para serem identificados. 

    Manifestação (Foto: Thais Kaniak)
    Passeata ocorreu pacificamente até chegar ao Palácio Iguaçu, sede do governo estadual  (Foto: Thais Kaniak / G1)

     

    “O desfecho foi o mais suave possível, dentro das condições. Não tivemos o uso de nenhuma granada de efeito moral, nem de munição de borracha, nada. A polícia teve bastante parcimônia, bastante paciência para aguardar que o tumulto fosse enfraquecendo devagar e acabando”, afirmou o comandante da operação no Palácio Iguaçu, o coronel Milton Fadel.

    Alguns manifestantes jogaram objetos nos policiais do Batalhão de Choque, que estavam do lado de dentro da sede do governo estadual. Apesar da confusão, parte dos participantes que permaneceu no local pedia por um protesto sem violência.

    Manifestantes divididos

    Enquanto a situação acontecia no Palácio Iguaçu, a maior parte dos manifestantes deixou o local e seguiu para a sede da Urbs, autarquia municipal que coordena o transporte coletivo na cidade.

    A empresa funciona junto à Rodoferroviária de Curitiba. No local, eles se manifestaram pacificamente, gritaram palavras de ordem e cantaram o Hino Nacional.

    Dali, eles seguiram novamente em caminhada, até a Praça Santos Andrade.

    Em frente ao prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), eles encerraram o ato.

    Para esta sexta-feira (21), uma nova manifestação está prevista.

    Manifestação (Foto: Thais Kaniak / G1)
    No fim da manifestação, quando a maioria dos participantes já havia dispersado, houve confusão em frente ao Palácio Iguaçu  (Foto: Thais Kaniak / G1)

     

    Publicado por jagostinho @ 09:32



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.