Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 18jun

    ELIANEELIANE CANTANHÊDE –  jornalista – colunista da Folha e comentarista do telejornal “Globonews em Pauta” 

     

    BRASÍLIA – As vaias à presidente Dilma Rousseff na estreia do Brasil na Copa das Confederações têm de ser relativizadas.

    Além de o público do estádio Mané Garrincha não representar a maioria do eleitorado brasileiro, a verdade é que, mais cedo ou mais tarde, todo governante é vaiado.

    Nem o popularíssimo Lula escapou –aliás, em circunstâncias semelhantes, no Pan de 2007.

    Mais preocupante para Dilma é o contexto em que ocorrem as vaias. Inflação e juros sobem, popularidade cai. O pibinho frustra, a insegurança aumenta.

    Dólar dispara, Bolsas caem. Base aliada inflada, mais problemas para o Planalto. E o principal: os protestos populares ganharam o país e são mostrados ao mundo.

    É óbvio que R$ 0,20 a mais nas passagens em São Paulo não seria suficiente para botar o povo nas ruas do país, em multidões cada vez maiores, com imagens impressionantes.

    Esse foi apenas o detonador, o gatilho de manifestações de grupos distintos e de motivações difusas.

    Também é certo que o alvo não é Dilma Rousseff, ou, pelo menos, só o governo Dilma Rousseff.

    São muitos os motivos de irritação, são muitos os alvos. E eles estão nos palácios.

    Os palácios dos governos estaduais, como o de Geraldo Alckmin, tucano, os das prefeituras, como a de Fernando Haddad, petista.

    E os de todos os níveis do Legislativo e do Judiciário.

    A previsão do ministro Dias Toffoli de que o julgamento do mensalão possa durar mais dois anos pode ter sido até uma pitada a mais nesse tempero, nesse caldeirão.

    Com o pretexto ora do aumento das passagens, ora dos gastos milionários com estádios da Copa, o fato é que as redes sociais mostram sua força também aqui e os brasileiros estão dando um recado.

    Que Dilma releve as vaias restritas, mas saiba ouvir os gritos disseminados.

    E, como ela, governadores, prefeitos, parlamentares e magistrados.

    A fantasia de que o país está um paraíso, uma maravilha, acabou. A verdade dói, mas ajuda a melhorar.

     

    Publicado por jagostinho @ 10:13



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.