Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 24dez

    CELSO NASCIMENTO – COLUNISTA DA GAZETA DO POVO

    Eram notoriamente exageradas as notícias que anunciavam para o último dia 21 o fim do mundo. Sobrevivemos todos ao Calendário Maia e seguimos em frente marcando o tempo pelo Gregoriano.

    Assim, nos é possível ainda comemorar alegremente o Natal de 2012 e soltar foguetes na passagem para 2013.

    Nem por isso, neste espaço de análise política do jornal, podemos fugir à realidade de que, não o mundo, mas pelo menos a primeira metade do mandato de Beto Richa obedeceu à previsão maia, isto é, chegou ao fim.

    Talvez o governador, tomado pelo mesmo contido ânimo do estadista britânico Winston Churchill após derrotar o exército nazista no Norte da África, na Segunda Guerra, pudesse agora repetir:

    “Este não é o fim, não é nem o começo do fim, mas é, talvez, o fim do começo”. A grande questão, porém, no caso do governo Richa, é saber distinguir com precisão cada uma dessas etapas do tempo.

    Por exemplo: observando os resultados políticos e administrativos dos dois primeiros anos do mandato, seria possível afirmar que seu governo um dia começou?

    Se nem começou, não há como dizer que terminou uma primeira etapa. Pela mesma lógica, portanto, também não há como afirmar que, em 1º de janeiro, se dará o começo do fim.

    Complicado, né? Mas tentemos entender. Do ponto de vista administrativo, é generalizado o consenso (entre amigos e adversários) de que Richa não deixou marcas importantes nesses 24 meses no comando do estado.

    Nem mesmo parece ter aproveitado esse tempo para definir rumos e dotar o estado e o governo de condições para persegui-los. Passou distante, portanto, daquilo que, na campanha, definiu como choque de gestão, um novo jeito de governar.

    Não há sinais aparentes de que tenha conseguido atingir tais objetivos dada a paralisia que acomete a maioria dos setores governamentais.

    Do ponto de vista político, o fato mais marcante foi a aposta errada que fez na eleição de Curitiba. Desfez-se do candidato natural do seu partido, o PSDB, Gustavo Fruet, e jogou suas fichas na reeleição de Luciano Ducci, do PSB.

    Perdeu não só o pleito: ao colocar o vitorioso Fruet no colo do PT, abriu também uma fenda enorme no projeto da própria reeleição em 2014.

    No interior não teve muito melhor sorte. Perdeu Londrina e, nos demais grandes colégios, elegeu somente candidatos de partidos aliados.

    O seu PSDB ficou com apenas 38 municípios que, somados, representam 350 mil votos num universo de 7 milhões de eleitores.

    Diz-se que, ao cooptar os deputados do PMDB e desbancar a pretensão do senador Roberto Requião de presidir o partido, obteve sua primeira grande vitória política desde que assumiu o governo.

    De fato, talvez tenha inviabilizado a tentativa de Requião de concorrer ao Palácio Iguaçu, mas isto não é garantia suficiente para manter o PMDB unido e aliado até 2014, pois forças poderosas vindas do Planalto Central, interessadas na reeleição de Dilma Rousseff e na eleição de Gleisi Hoffmann, certamente se alevantarão.

    A vitória sobre Requião está lhe custando caro sob outro aspecto. Richa esperava marcar o “começo do fim” do mandato com fornadas de empréstimos que lhe permitissem realizar obras.

    Com o voto contra de Requião no Senado, o primeiro financiamento, de US$ 350 milhões, só voltará à discussão no ano que vem. Outras autorizações que dependem do Senado, totalizando perto de R$ 1,3 bilhão, podem passar pela mesma dificuldade.

    Isso tudo não é exatamente o fim do mundo, mas, por essas e outras, não há dúvida de que, se marcarem outra data para o Juízo Final, o Paraná chegará atrasado.

     



    Publicado por jagostinho @ 09:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Celso Rocha Disse:

    A GAZETA DO POVO É NEOLIBERAL NA ESSÊNCIA COM TENDENCIAS POLÍTICAS A FAVOR DE GRUPOS POLÍTICOS QUE SEGUEM A LINHA DE PENSAMENTO E AÇÃO DESTA VISÃO SOCIOLÓGICA DE SOCIEDADE COMO PSDB E DEMOCRATA (ANTIGO PFL)! POR ISSO NÃO DÁ PARA ACREDITAR QUE O GOVERNADOR BETO RICHA TENHA APROVAÇÃO POPULAR DE 69,5% CONFORME A MANCHETE ALARDEIA! AINDA MAIS NUMA PESQUISA COMPRADA E ENCOMENDADA PELO PRÓPRIO JORNAL!
    SE EXPÔS AO RIDÍCULO COMO ÓRGÃO DA CHAMADA “GRANDE DE IMPRENSA” NO PARANÁ!
    AINDA MAIS DEPOIS DA REPERCUSSÃO NEGATIVA DA “INVE$TIDA” DE BETO RICHA PARA CIMA DE “LIDERANÇA$ POLÍTICAS$” DO PMDB NO SENTIDO TER SE METIDO JUNTO COM SEU PSDB NAS QUESTÕES INTERNAS DESTE PARTIDO COM A INTENÇÃO DE MINAR UM DOS SEUS DESAFETOS E INIMIGOS POLÍTICOS NO NINHO QUE É O EX-GOVERNADOR E SENADOR ROBERTO REQUIÃO PARA IMPEDI-LO DE SAIR CANDIDATO A GOVERNADOR! ATITUDE ESTA QUE FOI CONSIDERADA PELA OPINIÃO PÚBLICA UM “TIRO DE CANHÃO NOS PÉS!”
    NO DESESPERO O QUE LHE RESTOU…?
    BINGO! COMPRAR E MANIPULAR A IMPRENSA PARA VER SE CONSEGUE ALGUM ÍNDICE DE APROVAÇÃO INFORMAL SEM SER AQUELA REAL “DO BOCA A BOCA NAS RUAS” QUE COM CERTEZA VAI CONTRA ESTA “MARÉ GAZETISTA PRÓ BETO RICHA !”
    É POR CAUSA DESTAS COISA QUE HÁ TEMPOS ESTE JORNAL ANDA CAINDO NO DESCRÉDITO DA POPULAÇÃO E PERDENDO ASSINANTES!
    MAL E PORCAMENTE DÁ PARA DAR ALGUM CRÉDITO A REPORTAGEM NA SEGUINTE PARTE DA MESMA: “Para 44%, a gestão atual é melhor do que a anterior, de Roberto Requião (PMDB). Porém, outros 33,1% dizem que a administração de Richa e a de Requião são comparativamente iguais. E para 19,1% a gestão de Richa é pior do que a de seu antecessor.”
    OU SEJA, 33,1% + 19,1 = 50,2% NÃO CONCORDAM COM A ATUAL ADMINISTRAÇÃO ATUAL! http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?tl=1&id=1330427&tit=Apos-dois-anos-governo-Richa-e-aprovado-por-69-da-populacao

  • Mazalotti Disse:

    Jota, não costumo ler a Gazata do Povo(?). Porque ela pertence à PIG (Parte da Imprensa Golpista). Mas, Celso Nascimento, é o único que procura fazer jornalismo sério. Imagime os outros…!

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.