Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 09dez

    CELSO NASCIMENTO, COLUNISTA DA GAZETA DO POVO

    Você sabia que o serviço de bilhetagem eletrônica que funciona nos ônibus de Curitiba custa R$ 756 mil por mês?

    Que esse valor compõe a planilha de custos do sistema e, portanto, incide diretamente sobre a tarifa paga pelos usuários do transporte coletivo?

    E que quem cobra pelo serviço é o Instituto Curitiba de Informática (ICI), que, por sua vez, terceiriza para a empresa Dataprom a instalação, manutenção e atualização dos aparelhos nos veículos, terminais e estações-tubo?

    Você sabia também que a mão de obra e até o sabão usados na limpeza das estações-tubo e dos terminais também compõem o custo da passagem?

    Que os custos de aquisição e operação dos novos ônibus híbridos (30 até agora) correspondem ao dobro do custo dos convencionais, embora transportem o mesmo número de passageiros?

    E que, consequentemente, este passou a ser mais um fator de desequilíbrio financeiro no sistema?

    Se você pensa que as deficiências do transporte coletivo de Curitiba começaram a acontecer recentemente, engana-se.

    Elas começaram a surgir principalmente a partir de 2005 quando o preço da passagem foi reduzido a um nível que não cobria os custos.

    A licitação de 2010, que mudou o modelo de permissão para concessão do transporte (claro que para as mesmas empresas que estão aí há 50 anos!) não corrigiu as distorções. Ao contrário, agravou muitas delas.

    E a tal ponto que o sistema se tornou deficitário e precisando de subsídios governamentais.

    Sem subsídio, a rede integrada – isto é, as linhas que servem os municípios metropolitanos – não teria condições de se manter em pé e pode entrar em colapso.

    Em 2012, o prejuízo de R$ 60 milhões foi supostamente suportado pelo governo estadual.

    E em 2013 continuará sendo? O governador Beto Richa acha que não: as finanças estaduais vão mal e o problema deve ser resolvido pelos prefeitos.

    Fruet quer desarmar esta bomba e há um mês pediu audiência a Richa.

    Ainda não obteve resposta.



    Publicado por jagostinho @ 10:47



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.