Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 04ago

    GAZETA DO POVO

    Loja da TIM no Centro de Curitiba: parlamentares desconfiam que liberação foi motivada por razões comerciais, não técnicas

    A Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Paraná pretende ingressar na segunda-feira com uma ação cautelar na Justiça Federal, solicitando a volta da proibição à venda de novas linhas da operadora TIM no estado.

    A venda de chips e a contratação de novos planos foi suspensa por 11 dias pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

    Além da TIM, cujas vendas foram vedadas no Paraná e em outros 17 estados, foram afetadas a Claro (em três estados) e a Oi (em cinco estados).

    Os negócios só foram retomados depois que as companhias apresentaram planos para a melhoria na qualidade dos serviços.

    De acordo com informações da assessoria do deputado Leonaldo Paranhos (PSC), presidente da Comissão, TIM não atendeu aos compromissos assumidos com o Ministério Público, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e com o Procon-PR.

    “Acho que houve pressão e que a medida foi tomada em razão do Dia dos Pais, data em que tradicionalmente o celular é um dos presentes mais procurados”, diz o parlamentar.

    A TIM, por meio da assessoria de imprensa, informou que não estava ciente da ação judicial e que, por isso, não se pronunciaria sobre o assunto.

    Dentre os compromissos assumidos, a TIM prometeu aumentar o número de atendentes do call center, melhorar a relação entre número de clientes e de antenas e, assim, a qualidade do sinal, entre outros aspectos.

    À Anatel, a empresa avisou que investiria R$ 8,2 bilhões no período 2012-2015. A companhia não divulgou ao público detalhes sobre esse plano de investimentos, nem dados regionalizados.

    Ministério Público

    Antes das ações tomadas pela Anatel contra a venda de planos, em meados do mês passado, o Ministério Público do Paraná já previa uma ação contra a operadora, mirando na qualidade da prestação de serviços.

    Em maio deste ano, o MP solicitou à agência um relatório detalhado com os números de fiscalização de qualidade e dados do Procon-PR sobre as reclamações e procedimentos instaurados contra a operadora nos últimos três anos.

    De acordo com informações da assessoria do MP-PR, o órgão já está de posse destes dados e divulgará novidades sobre o caso da TIM na segunda-feira.

     

    Publicado por jagostinho @ 10:47



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • RONALD Disse:

    COMO É BOM HAVER UM PROBLEMA QUE TAMBÉM ATINGE OS DEPUTADOS. ELES AGEM NA HORA.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.