Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 03ago

    FOLHA.COM

                                                                                                                               

    O candidato Celso Russomanno (PRB), que aparece nas pesquisas eleitorais em empate técnico com José Serra (PSDB), foi tratado como coadjuvante no debate de ontem da TV Bandeirantes.

    Na primeira oportunidade de embate direto entre os candidatos, Russomanno foi deixado de lado pelos adversários e foi um dos últimos a ser questionado.

    O candidato só respondeu a uma pergunta, feita por Gabriel Chalita (PMDB), antes de Levy Fidelix (PRTB).

    O maior temor da equipe de Russomanno era que ele fosse questionado por jornalistas sobre a citação de seu nome na investigação sobre Carlinhos Cachoeira.

    A defesa seria apresentar às câmeras um atestado da Polícia Federal de que ele não estaria entre os investigados.

    A reação da campanha foi de alívio e surpresa quando a primeira pergunta dirigida a ele, feita por Joelmir Beting, foi sobre ambiente.

    Apesar do papel secundário, a campanha avaliou como positivo o fato de as acusações não terem sido citadas e de ele ter conseguido falar sobre suas propostas.

    O momento mais relevante de Russomanno no debate foi quando Soninha (PPS) questionou se ele se aliaria a Paulo Maluf (PP) –antigo aliado com quem tinha relação conflituosa no partido– como Fernando Haddad (PT).

    “De jeito nenhum. O que eu passei na mão desse cidadão ninguém quer passar”, respondeu Russomanno, arrancando risos da plateia.

    Desde dezembro, Russomanno cresceu dez pontos percentuais nas pesquisas do Datafolha.

    Na última semana, vieram à tona acusações contra o ex-deputado. Seu nome foi citado por um investigado do esquema de Cachoeira em discussão sobre envio de dinheiro ao exterior, segundo a PF.

    Além disso, testemunhas o acusaram de desviar verba da Câmara, quando era deputado, para pagar uma funcionária de sua empresa. Ele nega as acusações.

    Publicado por jagostinho @ 16:43



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.