Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 18dez

    UOL FUTEBOL

    Messi comemora após marcar o primeiro gol do Barcelona contra o Santos na final

     

    Foi um passeio. O Barcelona jogou como sempre, se impôs sobre o Santos, e usou somente basicamente o primeiro tempo para ser bicampeão do Mundial de Clubes.

    O time espanhol venceu o jogo na noite deste domingo, em Yokohama, no Japão, por 4 a 0. Messi, duas vezes, Xavi e Fábregas marcaram os gols que mantiveram o clube catalão com o status de disparado o melhor time do mundo.

    Messi, novamente, também comprovou a fama. O argentino marcou dois golaços, um em cada tempo, e controlou a posse de bola como quis.

    De seus pés, a grande maioria de jogadas de perigo do Barça foi criada. Já Neymar sofreu com a forte marcação, bem ao estilo europeu, e deixou o campo desprestigiado por falhar em novo duelo pessoal contra Messi.

    O Barcelona conquistou o bicampeonato com três gols marcados no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Santos criou boas chances, mas Borges e Neymar falharam em finalizações.

    O alvinegro agora precisa reiniciar o caminho do tricampeonato mundial em 2012.

    A inédita formação de Muricy Ramalho com três zagueiros e Léo na segunda linha fez Elano iniciar o jogo no banco de reservas.

    Já o Barcelona, mesmo sem David Villa e Alexis Sanchez, lesionados, manteve o tradicional controle da bola, com mais de 70% da posse.

    O domínio do Barcelona desde o começo de jogo foi impressionante. Borges e Neymar corriam de um lado para o outro na tentativa de marcar a saída de bola, mas entraram na roda de passes de Abidal, Puyol, Piqué e Iniesta. A tática de Muricy só fez os jogadores cansarem.

    O Santos assistiu o Barça trocar os precisos passes, e só manteve a bola nos pés pela primeira vez aos 5 minutos de jogo. Nada que durasse por muito tempo. Um deslize, e a avalanche catalã era retomada.

    O sucesso do Barcelona no ataque somado às falhas defensivas resultaram em desastre no primeiro tempo. Durval furou o passe de Xavi, após a demonstração de um incrível controle de bola, e Messi marcou por cobertura aos 16 minutos. Sete minutos depois, Xavi recebeu de Daniel Alves, cortou Bruno Rodrigo e ampliou.

    O 2 a 0 ainda deixou Muricy sem reação. A primeira mudança veio só depois de um chute na trave em arremate de Fábregas, e aconteceu devido à reclamação de dores nas costas de Danilo. O lateral saiu para a entrada de Elano.

    No 4-4-2, e com Bruno Rodrigo como falso lateral-direito, o Santos seguiu sofrendo. Tanto que o terceiro gol do Barça saiu ainda no primeiro tempo. Aos 44 minutos, Fábregas aproveitou rebote dado por Rafael após cabeçada de Thiago e marcou.

    No segundo tempo, o panorama modificou, mas nem tanto. O Santos pressionou, perdeu gols, mas não tinha Messi em campo.

    O argentino ainda marcou um novo gol aos 36 minutos ao driblar Rafael e coroar a imagem de melhor jogador do mundo, no melhor time do mundo.



    Publicado por jagostinho @ 10:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Fernando Correa Martins Disse:

    Senhores,

    Após a verdadeira aula de futebol de hoje de manhã, horário brasileiro, noite no Japão, dada pelo Barcelona sobre o fraco time brasileiro do Santos, outrora forte como o nosso futebol, fica a realidade. O nosso futebol morreu.

    Ver o estilo de jogo do Barcelona é como ver o nosso futebol até a década de 80. Quando eu comecei a assistir futebol. Nunca vou me esquecer do timaço que o meu Coritiba teve em 1989, sem um brucutu no meio, só no toque de bola, passagem pelo lado do campo, sempre com gente perto, dois jogadores abertos, um ponta de lança, o camisa 10, no caso daquele timaço, o Tostão. Cada um deve ter alguma lembrança de algo parecido nos seus respectivos times de coração.

    Hoje o nosso futebol é de contra-ataque, correria, chutão, defensivo, como era o futebol europeu e hoje eles não jogam mais assim, jogam como nós jogávamos. Vide Holanda, Alemanha, Espanha, Inglaterra e até a Itália que está mudando pois aquele paradigma deles de defesa, defesa e contra-ataque não sobrevive mais no futebol atual. Mas nossos fracos treinadores insistem em matar nosso futebol e vem lá da base, senhores. Nossa base não tem uma filosofia, um DNA, uma maneira de jogar. Os treinadores da base são pressionados a ganhar, colocam jogadores altos, fortes e que naquele momento vão resolver mas não irão lá na frente. Além disso, não há projeto de nada. Mudam tudo de 3 em 3 meses. Os treinadores não conversam. Não há nada. Há só uma coisa: ganhar de qualquer jeito. Nossos jogadores são mal formados e o resultado está aí. Nosso futebol morreu.

    É necessário que a CBF tome uma atitude, reúna os clubes das 3 principais divisões do país e mais alguns representantes de todos os estados do país e discutam, estabeleçam um projeto, um plano, uma filosofia. Que cada clube defina o que é melhor, mas que se defina. 2014 está aí e vai ser difícil ganhar a Copa sem uma ajuda divina pois não temos laterais em quem confiamos 100%, por exemplo. Meias, então… Ganso volte a jogar… Precisamos que se organize o futebol lá da base, pois em cima, com o Campeonato Brasileiro, organizado, a Copa do Brasil no caminho de ser uma Copa do Brasil, mesmo, o ano todo e um dia será maior com mais clubes ainda sendo um verdadeiro festival de diversidade do nosso futebol, uma festa para todos, mas precisamos ressucitar o nosso futebol. O nosso estilo, a nossa filosofia de futebol. Tudo começa com o garoto de 13 anos, lá da base do seu clube, do meu clube, dos nossos clubes.

    É isso.

    Um abraço

    Fernando

    P.S.: Vcs sabem o que um santista faz quando o Santos ganha do Barcelona?
    Ele sai do FIFA 12, desliga o sistema do PS3 e vai dormir.

  • Míriam 8 Disse:

    Desde que nossos jogadores viraram estrelas internacionais,$$$$$ ensinamos aos demais todas as nossas técnicas e não mais evoluimos sobre elas .
    Ora, se ensinamos e os outros aprenderam e aprimoraram , então vamos inverter? Vamos buscar jogadores é técnicos , lá fora?

    Ou então, vamos criar novos talentos que arrebatam em cima do que ensinamos.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.