Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 08jul

    AGÊNCIA ESTADO

    A crise envolvendo o PR dentro do Ministério dos Transportes foi um dos temas mais mencionados durante o evento que marcou a saída da ex-senadora Marina Silva e de seus aliados do PV.

    A ex-candidata à Presidência da República afirmou estar pronta para apoiar a presidente Dilma Rousseff no veto ao projeto do Código Florestal que tramita no Senado e disse esperar que a presidente consiga “resistir” às práticas do que ela chama de “velha política”.

    Para Marina, não há mais como reformar o atual modelo de política brasileira, e sim reinventá-lo. “Remendar é muito pouco para o tamanho do problema que estamos vivendo no Brasil”, disse Marina Silva, na tarde de hoje.

    Para anunciar sua desfiliação do PV, Marina convocou uma plenária com simpatizantes e apoiadores de sua campanha à Presidência e com aliados que deixam a legenda para criar um movimento suprapartidário em prol do verde e da cidadania.

    Durante o evento, o ex-presidente do diretório estadual do PV em São Paulo Maurício Brusadin afirmou que os partidos vivem hoje a decadência e não atendem mais às demandas da sociedade

    “E o PV não é diferente disso”, comparou. “Reconhecemos que o PV, assim como a maioria dos partidos, se divorciaram de vez da sociedade”, completou o ex-candidato ao Senado por São Paulo Ricardo Young.

    Brusadin colocou a sua antiga legenda no mesmo status do PR e criticou o partido do ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento por reclamar de sua demissão da pasta.

    “Eles não têm vergonha de dizer isso”, criticou. O PR também foi alvo de críticas de Young. “Não podemos mais transigir com isso.”

    Em seu discurso, Marina citou o escândalo envolvendo o PR como exemplo de algo que não pode mais ser tolerado na sociedade.

    “Não podemos negar a tristeza com a política”, lamentou a ex-senadora. “Os partidos continuam sendo importantes, mas não podemos fechar os olhos para seus desvios.”

    A ex-senadora destacou que pretende ajudar Dilma nas discussões no Congresso sobre o novo Código Florestal.

    Ela lembrou que a presidente assumiu compromisso na campanha de não aprovar nenhum texto que favoreça o desmatamento e, ao ser questionada se estaria otimista em relação ao veto do projeto, Marina desconversou.

    “Não estou nem otimista nem pessimista. Estou persistente.”

    Publicado por jagostinho @ 13:23



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.