Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 18mar

    Paraná Online/Elizabete Castro

    Fábio Alexandre/O Estado
    Gustavo Fruet: “Foi uma postura afirmativa, que garante pelo menos o debate”

     

    O ex-deputado federal Gustavo Fruet avaliou que o cancelamento da convenção municipal do PSDB reabre o espaço para o debate sobre a candidatura própria do partido à prefeitura de Curitiba.

    “Foi suspenso o que não estava autorizado e se interrompe a tentativa de asfixia dessa proposta”, disse.

    A convenção havia sido convocada pelo presidente do diretório municipal, João Claudio Derosso (PSDB), para o próximo domingo, mas foi suspensa depois de uma semana de conversas conduzidas pelo presidente estadual do PSDB, Valdir Rossoni.

    A partir de agora, qualquer decisão do diretório municipal terá que ser submetida ao diretório estadual.

    Rossoni frustrou o que poderia ser o fim do projeto de Gustavo, já que o novo diretório poderia ser composto majoritariamente de simpatizantes da aliança com o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), candidato à reeleição no próximo ano.

    Para Gustavo, foi um passo importante, mas não decisivo para garantir a continuidade do projeto de candidatura própria.

    “Foi uma postura afirmativa, que garante pelo menos o debate”, afirmou o ex-deputado, que tenta construir sua candidatura a prefeito de Curitiba.

    Pressa

    O debate sobre a posição do partido na disputa municipal não pode se estender por tempo indeterminado, disse Gustavo.

    “Tem que acontecer ainda este ano. Preferencialmente, antes de outubro”, frisou o ex-deputado tucano.

    Duas razões amparam essa reivindicação de Gustavo. Uma delas é que em 30 de setembro vence o prazo de filiações de candidatos às eleições de outubro.

    Se o PSDB optar pela aliança com Ducci, Gustavo teria tempo de dar novo rumo ao seu projeto político.

    Convites não faltam. O PDT, PMDB e PSC já ofereceram a candidatura a prefeito ao tucano, cobiçado em virtude da votação que fez como candidato ao Senado, em Curitiba, no ano passado.

    Mas Gustavo destaca que é preciso tempo para se construir um projeto eleitoral.

    Principalmente porque a candidatura própria à prefeitura deve ter a sustentação de uma boa aliança partidária.

    Se a decisão for empurrada para o próximo ano, quando o PSDB começar a se articular, os possíveis aliados já terão assumido outros compromissos, citou.

    Publicado por jagostinho @ 18:49



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.