Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 14mar

    Folha.com/Poder

    Em sua segunda aparição como palestrante após deixar o cargo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse neste domingo, durante evento promovido pela rede de TV Al Jazeera em Doha (Qatar), que o exemplo brasileiro de democracia pode servir de modelo ao Oriente Médio.

    Assista ao discurso de Lula no site da TV Al Jazeera

    Sem citar diretamente as revoltas populares no mundo árabe (que já derrubaram dois ditadores e puseram a Líbia em estado de guerra civil), Lula saudou a sede por mudanças na região e fez de seu discurso de cerca de 40 minutos, em que quase não houve improviso, um pequeno resumo de seus oito anos na presidência do Brasil.

    No início do mês, o ex-presidente havia estreado como palestrante em um evento interno da multinacional LG, em São Paulo, que lhe pagou R$ 200 mil pela participação. A Al Jazeera não divulgou se pagou cachê a Lula pelo discurso deste domingo no Qatar.

    O petista repetiu alguns de seus mantras, como a necessidade de se construir “uma nova ordem política e econômica” e a urgência de “mais liberdade e de mais igualdade” no mundo.

    Como habitual, criticou a composição do Conselho de Segurança da ONU, por “não respeitar a nova geopolítica mundial” e relembrou a responsabilidade das grandes potências na crise econômica global de 2008.

    O petista discorreu brevemente sobre sua biografia, destacando sua origem humilde, e se autointitulou um produto da democracia ao ter “chegado onde chegou”, bordão frequente em seus discursos desde que foi eleito presidente pela primeira vez, em 2002.

    Também enumerou o que considera as principais realizações de seus oito anos de governo (distribuição de renda por meio de programas sociais, expansão do crédito e acesso à educação).

    EVENTO

    Com o tema “O mundo árabe em transformação: o futuro chegou?”, o evento promovido pela Al Jazeera ocorre num momento em que mobilizações populares em série contribuíram para destituir dois longevos ditadores africanos (Hosni Mubarak, que governou o Egito por 30 anos, e Zine El Abidine Ben Ali, que desde 1987 comandava a Tunísia).

    Na Líbia, uma guerra civil opõe rebeldes e forças leais a Muammar Gaddafi, que comanda com mãos de ferro o país após golpe que liderou em 1969. Países como Arábia Saudita, Bahrein e Iêmen também estão passando por ebulição política, com protestos populares quase diários por mudanças.

    Criado em 2004, o fórum promovido pela rede Al Jazeera tem o objetivo de debater as perspectivas do Oriente Médio no contexto do mundo globalizado, promovendo discussões sobre o papel dos países árabes nas transformações políticas, sociais e culturais da humanidade.

    A Al Jazeera está no ar desde 1996 com o objetivo de levar ao mundo a visão árabe dos acontecimentos.

    Publicado por jagostinho @ 12:27



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.