Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 11dez

    A sucursal de Brasília consegue um documento, uma declaração supostamente assinada pelo Chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha, avalizando o trabalho do INBRASIL, o tal instituto através do qual o relator do orçamento desviava recursos.

    Procurou o Ministro. Na hora, constatou-se que o documento era falsificado. Havia inúmeras evidências, acessíveis a qualquer redação com um mínimo de análise técnica, conforme material que recebi agora à noite:

    1. No brasão do documento, o telefone da Secretaria estava errado, assim como o email.

    2. O padrão gráfico é diferente do papel timbrado da SRI.

    3. O número do RG do Ministro é falso.

    4. Sua denominação – “Ministro de Estado chefe da SRI” – incorreta.

    5. O CNPJ da empresa avalizada é. Bastava colocar em um programinha simples para constatar que era inválido.

    6. Havia mais. A assinatura do Ministro era scaneada, conforme se conferia a olho nu. Bastava clicar na assinatura para aparecer o contorno da imagem.

    7. Bastava ir às propriedades do documento para saber que foi escrito em Br-Office, um editor de texto. Documentos legais são scaneados diretamente do papel. Documentos PDF a partir de um editor de texto é sinal evidente de manipulação. Qualquer adolescente medianamente informado sabe disso.

    Tinha-se, enfim, uma reportagem sobre um documento falsificado envolvendo um Ministro de Estado. O repórter foi informado, até escreveu um boxe sobre isso. Essa informação não fo sonegada da direção de redação do jornal.

    E tinha-se a principal suspeita – a ex-assessora que afirmava ter obtido a carta do Ministro.

    A direção de redação – provavelmente Marcelo Beraba, um dos criadores da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), que se supunha o último centro de reportagem correta da mídia – decidiu ignorar todos os sinais de falsificação e imputar o documento ao Ministro Padilha.

    A manchete de primeira página foi esta:

    Internamente, na página 4, a matéria principal foi essa:

    Na parte inferior da página um boxe, com Padilha tentando explicar que o documento apresentado era falso.

    Publicado por jagostinho @ 09:41



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Tweets that mention Jota Agostinho » Arquivo do Blog » COMO O ESTADÃO FABRICOU O ESCÂNDALO -- Topsy.com Disse:

    […] This post was mentioned on Twitter by Pedro A. Sanches and bubuzinha, Jota Agostinho. Jota Agostinho said: COMO O ESTADÃO FABRICOU O ESCÂNDALO – http://bit.ly/hXu4kZ […]

  • Edson Rimonatto Disse:

    Pois é Jota, a mídia golpista não dá folga. Querem, de qualquer forma, ludibriar a opinião pública e fazer do povo marionetes de um neoliberalismo (que de neo não tem nada), que não passa de uma roupa nova do arcaico e atrasado conservadorismo. Essa é a herança de uma política má administrada, corrupta e concentradora que usa o poder da mídia em favor próprio. Que se mordam… o povo deixou de ser burro. Hoje em dia, temos notícias plantadas derrubadas em tempo real devido ao poder da internet e do trabalho de blogueiros como Luiz Nassif, Paulo Henrique Amorim, Luiz Carlos Azenha e Jota Agostinho. Parabéns!

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.