Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 30jul

    Na “Veja” desta semana, o ex-ministro da fazenda, Maílson da Nóbrega, escreveu um artigo, servindo

    Do blog HERDEIRO DO CAOS

    Do blog HERDEIRO DO CAOS

    não  se sabe a que interesse, repleto de ironias, ao referir-se à lei estadual  16.777, que disciplina o uso de palavras estrangeiras em propagandas, no Estado do Paraná.

    Quis ser engraçadinho, mas engraçada é sua cara rechonchuda. O Governo do Paraná enviou a carta ao diretor de redação da revista “Veja”. Eis alguns trechos:-

    …O que querem o governador e os deputados estaduais do Paraná que votaram a favor dela é coibir o ridículo, abusivo e, não raro, inculto e ignorante uso do inglês e de outros idiomas estrangeiros no afã de “sofisticar” mensagens publicitárias. Atribuir à Lei 16.177 efeitos tão perversos como os que cita o ex-ministro é o mesmo que culpar, exclusivamente, Maílson da Nóbrega pela inflação de 80% ao mês durante sua gestão à frente do Ministério da Fazenda.

    Requião quer, apenas, resgatar o bom senso e evitar o ridículo de ver cidades brasileiras coalhadas de propagandas em inglês, apregoando sale, off, delivery, rent, drive thru, personal stylist, personal trainer etc. Fariam melhor a Veja e outros veículos brasileiros se saíssem às ruas e perguntassem aos cidadãos se entendem o que dizem tais palavras.

    Vejamos alguns exemplos do uso abusivo — e, pior, incorreto — de idiomas estrangeiros no Paraná. Um dos shopping centers de Curitiba chama cada um dos vários andares de seu estacionamento de “Deck Park”. Está errado. Em inglês correto, se escreveria Parking Deck…

    E finaliza:-

    …Chamamos a atenção, por fim, para a sanha com que os que agora falam em “atentado à liberdade de expressão” se voltam contra o uso do português do presidente Luís Inácio Lula da Silva. Homem de formação simples, Lula traz em seu falar inúmeras marcas do português da Garanhuns de sua infância e do chão de fábrica e das reuniões sindicais do ABC paulista. Nada de errado com isso, concordam os linguistas. O idioma, afinal, é algo vivo, está em constante mutação. Não nesse caso. A liberdade de expressão vale para publicitários, que se autodenominam “criativos”, se apropriando de um adjetivo que travestem de substantivo para se autoglorificarem. Mas nunca, jamais, para a gente simples. Que democracia é essa, ex-ministro? –  GOVERNO DO PARANÁ –

    Uma sugestão ao poliglota Da Nóbrega. Vá para os EUA e ensine aos americanos como chegar a uma hiperinflação. Afinal, é a sua especialidade. Se liga , mané!

    Publicado por jagostinho @ 00:14



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

3 Respostas

WP_Cloudy
  • dario Disse:

    o que este sem pescoço quer. Aqui no Paraná quem manda é o Requião. Deve ter ganho grana dos publicitarios. Ex ministro bobão

  • nascimento Disse:

    o ex ministro não tem mais oq fazer não?

  • zé maria Disse:

    esse maiolson só podia escrever nesta porcaria de veja.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.