Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 24jul

    DO POLÊMICO REINALDO AZEVEDO EM SEU BLOG

    Todo mundo sabe que considero a democracia tão importante, mas tão importante, que afirmo que ela deve ser preservada até mesmo da vontade popular — a vontade como um clamor, bem entendido. Se um golpe de fato tivesse acontecido em Honduras, eu estaria a criticá-lo, contasse ou não com a simpatia popular. Mas não foi isso. É uma canalhice moral e intelectual não reconhecer que era Manuel Zelaya quem estava golpeando a Constituição. Mesmo depois que a Corte Suprema do país declarou a sua consulta ilegal, ele deu ordens aos militares que contrarivam a decisão da Justiça. Estava incitando a indisciplina e, na prática, dando um golpe de estado. EUA, UE, OEA, Brasil e outros tantos pedem a restituição de um presidente que desrespeitou a Constituição (democrática!), a Justiça e o Congresso.

    Não é assim porque eu quero. É assim porque esses são os fatos.

    Ora, que todos esses países e organismos enviem representantes a Honduras para saber se há ou não um país onde vige a democracia. Ora, vamos estabelecer alguns critérios para definir o que é o que não é um regime democrático e depois vamos submeter algumas nações ao teste:
    1 – eleições limpas:
    2 – liberdade de imprensa;
    3 – liberdade de manifestação;
    4 – liberdade partidária:
    5 – respeito às minorias políticas.

    Cuba passa no teste? Não! No entanto, Insulza, agarrado à sua delinqüência intelectual e ideológica, luta para ter a ilha de volta. A Venezuela passa? Não! No entanto, Insulza é um amigo de Chávez e ajuda o tiranete a promover a desordem em outro país. Equador passa? Não! Bolívia passa? Não! Por incrível que pareça, Honduras é aprovada. “E as eleições?” Estão marcadas. Não se alterou o calendário eleitoral, e o governo provisório aceita até antecipá-las. Ademais, a substituição de Zelaya por Roberto Micheletti é constitucional. Um presidente, naquele país e em qualquer outro, pode perder o mandato se fugir a seu juramento. Cada nação tem a sua maneira de operar a destituição: no Brasil, há um processo de impeachment; em Honduras, a destituição é automática, bastando que seja referendada pelo Justiça e pelo Congresso.

    O que temos são ditadores vigaristas cercando uma República que vai às ruas em defesa da democracia.

    Publicado por jagostinho @ 00:01



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

4 Respostas

WP_Cloudy
  • nascimento Disse:

    Ditador é igual em todo lugar. O tal de Zelaya já avisou umas 10 vezes, que vai voltar a Honduras. Vai nada. Se for paredon pra ele !!!

  • Paulo Ricardo Disse:

    esse reinaldo é da direitona. Mas pelo que tenho acompanhado, acho que ele escreveu bem sobre oq está acontecendo em Honduras

  • eduardo Disse:

    Matou a pau o Reinaldo. Abaixo as republiquetas. Abaixo os caudilhos de segunda categoria, chavez, Morales, Raul Castro, Ortega e outros mais.

  • valfrido Disse:

    ta certíssimo o Reinaldo. Olha a turma do zelaia:chaves, irmãos castro, lula…

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.