O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta segunda-feira, 12, que uma questão de Matemática do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será anulada.

O MEC constatou que a mesma questão já havia sido aplicada no vestibular de 2013 da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

De acordo com o MEC, o item foi formulado por um professor que compõe o Banco de Elaboradores de Itens do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

“Em decorrência do descumprimento dos requisitos de ineditismo e sigilo, a questão está anulada.”

Se um estudante que fez a prova do ENEM neste domingo (11) tivesse tido a sorte de achar no Youtube a explicação do professor Marcos J. Novakoski, de Guarapuava (PR), encontraria lá a resposta gravada estava vinculado à UFPR.

Em 2013, foi utilizada no vestibular da universidade federal.

Uma sindicância vai para apurar responsabilidades e poderá haver instauração de processos administrativo, cível e/ou criminal.

Segundo o MEC, o ministro da Educação, Rossieli Soares, entrou em contato com o reitor da UFPR, Ricardo Fonseca, que colocou a instituição à disposição para colaborar com a apuração.

À esquerda, um fac símile da questão incluída no ENEM/2018. À direita, em azul, reprodução do texto da questão no vestibular da UFPR de 2013.

O artigo 33 da lei brasileira 11343 de 2006, sobre drogas, prevê a pena de reclusão de 5 a 15 anos para qualquer pessoa condenada por tráfico ilícito ou produção não autorizada de drogas.

Entretanto, caso o condenado seja réu primário com bons antecedentes, essa pena pode sofrer uma redução de um sexto a dois terços.

Se um réu primário com bons antecedentes for condenado pelo artigo 33 da lei brasileira sobre drogas, após o benefício da redução de pena, sua pena poderá variar: […]