• 13set

    RENOVA MÍDIA

    Bolsonaro ficará mais alguns dias afastado da Presidência

     

    Chefe do Executivo continua se alimentando por sonda e as visitas permanecem restritas

     

    Bolsonaro ficará mais alguns dias afastado da Presidência

     

    Seguindo orientações médicas, o presidente da República, Jair Bolsonaro, ficará afastado do cargo por mais quatro dias.

    A previsão era que Bolsonaro reassumisse a Presidência nesta sexta-feira (13), mas os médicos propuseram um período maior de descanso.

    Dessa forma, O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) fica no posto até terça-feira (17).

    O porta-voz da Presidência, Otávio Rego Barros, conversou com a imprensa, nesta quinta-feira (12), e disse o quadro de recuperação do presidente é bom.

  • 11set

    RENOVA MÍDIA

    Bolsonaro permanece ‘sem dor, afebril e sem disfunções orgânicas’

     

    Bolsonaro foi submetido à passagem de uma sonda nasogástrica para facilitar a nutrição e a drenagem

     

    Bolsonaro permanece 'sem dor, afebril e sem disfunções orgânicas'

     

    Um novo boletim médico foi divulgado, na manhã desta quarta-feira (11), pelo Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde o presidente da República, Jair Bolsonaro, se encontra em recuperação após passar pela quinta cirurgia desde que foi alvo de uma facada durante comício em Juiz de Fora, interior de Minas Gerais.

    Segundo as informações do hospital, Bolsonaro apresentou um quadro de “lentificação dos movimentos intestinais e distensão abdominal”.

    Com isso, a equipe médica que cuida do chefe do Executivo decidiu suspender a alimentação oral e introduzir a nutrição endovenosa.

    Ainda de acordo com o boletim, o quadro de Bolsonaro segue estável. Ele permanece sem dores, não teve febre ou qualquer disfunção orgânica.

    Confira a íntegra do boletim médico divulgado minutos atrás:

    “O Hospital Vila Nova Star informa que o Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, encontra-se no terceiro dia de pós-operatório, permanece sem dor, afebril e sem disfunções orgânicas.

    Evoluiu há 12 horas com lentificação dos movimentos intestinais e distensão abdominal, sendo submetido a passagem de sonda nasogástrica e introdução de nutrição parenteral (endovenosa).

    Os exames laboratoriais encontram-se estáveis. A reintrodução da alimentação por via oral será avaliada diariamente e ocorrerá no momento oportuno.

    Segue com medidas de prevenção de trombose venosa profunda e realizando fisioterapia motora. Por ordem médica, o paciente segue com visitas restritas.”

  • 02set

    CONEXÃO POLÍTICA

     

    Presidente Jair Bolsonaro será operado para correção de hérnia; entenda

     

    O presidente deve ficar em repouso por 10 dias

     

     

    O presidente da República Jair Bolsonaro, será submetido a uma nova cirurgia, desta vez, para correção de uma hérnia incisional.

    O problema, segundo informou em nota o médico da Presidência da República, Dr. Ricardo Peixoto Camarinha, surgiu em decorrência das intervenções cirúrgicas pelas quais o presidente foi submetido depois de ter sido vítima de uma facada.

    Mais cedo, pelas redes sociais, ao lado dos médicos Bolsonaro brincou com a situação.

    “Agora em São Paulo com os Drs.[Antonio Luiz] Macedo e Leandro [Echenique, cardiologista]. Pelo que tudo indica curtirei uns 10 dias de férias com eles brevemente. Bom dia a todos”, disse.

    O presidente passou o domingo em São Paulo, onde pela manhã foi avaliado pelos médicos, no aeroporto de Congonhas.

    Ainda na capital paulista, Bolsonaro seguiu de helicóptero para o Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus, onde participou de um culto religioso.

    Histórico

    Em setembro de 2018, ainda durante a campanha presidencial, Bolsonaro levou uma facada em Juiz de Fora (MG).

    De lá para cá, passou por três cirurgias.

    O autor do atentado, Adélio Bispo de Oliveira, foi internado por tempo indeterminado em um manicômio judicial.

    Com informações, Agência Brasil

  • 02ago

    RENOVA MÍDIA

     

    Mais Médicos buscava formar ‘núcleos de guerrilha’ no Brasil, diz Bolsonaro

     

    Bolsonaro disse que os médicos cubanos falharam em salvar Hugo Chavez e que o PT “estuprou” questão humanitária

     

    Mais Médicos buscava formar ‘núcleos de guerrilha’ no Brasil, diz Bolsonaro

     

    O presidente da República, Jair Bolsonaro, fez duras críticas, nesta quinta-feira (1º), ao programa “Mais Médicos” e aos cubanos.

    Durante o lançamento do programa “Médicos pelo Brasil“, Bolsonaro afirmou que o objetivo do programa criado em 2013 pela então presidente Dilma Rousseff (PT) era formar “núcleos de guerrilha no Brasil”:

    “Se os cubanos fossem tão bons assim, teriam salvado a vida de Hugo Chavez. Não deu certo, deu azar. Se os cubanos fossem tão bons assim Dilma e Lula teriam aqui no Planalto para atendê-los cubanos e não brasileiros.”

    O chefe do Executivo afirmou ainda que tentou interferir na questão enquanto era deputado federal, mas que não teve sucesso porque “o Parlamento era conduzido de outra forma”.

    Bolsonaro acrescentou que “a imprensa tinha um carinho muito especial com o governo, […] não falava numa questão muito a ver com direitos humanos. É que os cubanos não poderiam trazer seus familiares”.

  • 01ago

    AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

     

    Estado assegura recursos para atender 398 municípios com medicamentos

     

    O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou nesta quarta-feira (31), no Palácio Iguaçu, um convênio com o Governo Federal que permitiu o repasse de R$ 102 milhões para o Consórcio Paraná Saúde, que, em parceria com 398 municípios, compra e faz a administração de medicamentos para atender a população pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

     

    O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou nesta quarta-feira (31), no Palácio Iguaçu, um convênio com o Governo Federal que permitiu o repasse de R$ 102 milhões para o Consórcio Paraná Saúde, que, em parceria com 398 municípios, compra e faz a administração de medicamentos para atender a população pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

    Em ato com a presença de cerca de 70 prefeitos de todas as regiões do Paraná, Ratinho Junior também autorizou o repasse de outros R$ 52 milhões do Governo do Estado para a instituição, totalizando R$ 154 milhões para garantir remédios para os próximos dois anos. A cartela básica de compra engloba pelo menos 160 medicamentos.

    O governador destacou que os recursos permitem ao Consórcio Paraná Saúde comprar medicamentos com economia de 40% em comparação com uma negociação individual de um município.

    “Esse projeto tem vinte anos, vem evoluindo constantemente e consegue viabilizar a compra dos remédios para toda a rede básica, os postos de saúde, e o volume dessa compra consegue baratear a negociação com os laboratórios”, afirmou.

    O governador também destacou que o Paraná é um modelo para o País na gestão do sistema de consórcios.

    “Esse modelo de consórcios é fantástico e o Paraná aprendeu a fazer isso. Estamos aprimorando, ampliando, aperfeiçoando. Queremos atender também outras áreas de equipamentos e segurança, por exemplo, para otimizar os nossos recursos”, completou.

    O modelo integrado, afirmou Ratinho Junior, atende o projeto do Governo do Estado de levar o atendimento de saúde cada vez mais perto da população, um trabalho que envolve os consórcios intermunicipais, hospitais regionais e filantrópicos.

    Ele também ressaltou a possibilidade de estabelecer parcerias público-privadas na gestão de unidades hospitalares com intuito de baratear os custos dos atendimentos para o Estado.

    PARCERIAS – O secretário de Saúde, Beto Preto, disse que a área de medicamentos é fundamental porque atinge a população mais humilde em um momento de extrema necessidade.

    “É uma estratégia vitoriosa que já completou vinte anos. Apenas Curitiba não faz parte porque compra em larga escala e tem outra estratégia. Mas os demais municípios compram bem e compram melhor com o apoio dos consórcios”, afirmou.

    O secretário também destacou que para 2020 o intuito do governo estadual é duplicar os repasses aos consórcios intermunicipais de saúde.

    “Nesse ano destinamos R$ 30 milhões e para o ano que vem trabalhamos com um orçamento de R$ 60 milhões. Ainda é pouco, os municípios estão com a maior carga, mas vamos estabelecer novas regras para avançar nessa relação ofertando ainda mais serviços aos paranaenses”, emendou.

    Segundo Luiz Cláudio Costa, presidente do Consórcio Paraná Saúde e prefeito de Balsa Nova, o anúncio desta quarta-feira representa a garantia de normalidade dos repasses para manter a estrutura, que funciona com apoio de recursos federais, estaduais e municipais.

    O consórcio investe cerca de R$ 150 milhões por ano em medicamentos. “Os consórcios conseguem dar mais maleabilidade aos recursos, isso faz com que eles tenham capilaridade para alcançar rapidamente os 398 municípios do Paraná”, afirmou.

    Darlan Scalco, prefeito de Pérola e presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), destacou que os consórcios são o futuro da administração pública.

    “Nós compramos em grande escala, em um trabalho coletivo, e estamos felizes pelo fato de o governador Ratinho Junior acreditar no trabalho dos consórcios para atender melhor a nossa população”, completou.

    MAIS R$ 915 MIL – No mesmo ato, Ratinho Junior e o secretário de Saúde assinaram a liberação de recursos adicionais de R$ 915 mil, em três parcelas de R$ 305 mil, para auxiliar o custeio das ações de média complexidade ambulatorial do Consórcio Metropolitano de Saúde do Paraná (Comesp), que atende os 28 municípios da Região Metropolitana de Curitiba.

    CONSÓRCIO – O Consórcio Paraná Saúde foi instituído em junho de 1999 e tem a finalidade de otimizar os recursos da assistência farmacêutica básica.

    Com 398 municípios associados, o consórcio efetua a aquisição dos medicamentos elencados na assistência farmacêutica básica, preservando a autonomia de cada município na seleção e quantificação dos medicamentos de suas necessidades, a cada aquisição.

    PRESENÇAS – Estiveram presentes na cerimônia os secretários Hudson José (Comunicação Social e Cultura) e Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo); os deputados estaduais Hussein Bakri (líder do Governo) e Emerson Bacil; o presidente da Associação dos Consórcio e Associações Intermunicipais de Saúde do Paraná (Acispar) e prefeito de Alto Piquiri, Luiz Carlos Borges Cardoso; a presidente do Consórcio Metropolitano de Saúde (Comesp) e prefeita de Colombo, Bete Pavin; e a presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Paraná (Cosems), Cristiane Martins Pantaleão.

« Entradas anteriores   



Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota