• 10mar

    PLURAL/CAIXA ZERO/ROGÉRIO GALINDO

     

    Greca tenta usar vice para acabar com candidatura de Ney Leprevost

     

    Há quem diga que a manobra está quase consumada. Na janela partidária que se abre nos próximos dias, Greca emplacaria seu vice no partido adversário

     

     

    O grande cabo de guerra em andamento na disputa pela prefeitura de Curitiba se dá entre Ney Leprevost e alguns de seus correligionários de PSD.

    Segundo lugar na campanha de 2016, Leprevost luta para manter a candidatura, mas vem enfrentando resistência de gente que deseja ver o partido aliado a Rafael Greca (DEM).

    A trupe de Greca, claro, é quem mais se movimenta para que Ney fique de fora. E o instrumento usado para neutralizar o adversário é o atual vice-prefeito, Eduardo Pimentel.

    Filiado ao PSDB de Beto Richa, Eduardo já deu todas as mostras de que pretende sair do partido. O truque que Greca pretende é: colocá-lo no PSD, retirando a legenda de Leprevost.

    Há quem diga que a manobra está quase consumada. Na janela partidária que se abre nos próximos dias, Greca emplacaria seu vice no partido adversário, aparentemente sob as bênçãos de Ratinho Jr., líder máximo do PSD, que passaria a apoiar a campanha de reeleição de prefeito.

    A Leprevost, restariam duas opções: seguir no governo como secretário de Ratinho, apesar do boicote, ou assumir seu mandato de deputado federal.

    Ratinho vem dando vários indícios de que quer ficar ao lado de Greca. Pediu a Ney que não saia do governo, abandonando a disputa.

    Determinou que os candidatos que estão em sua gestão saiam ainda em março, o que dificulta a campanha de Leprevost.

    E agora parece estar avalizando a possível entrada de Eduardo Pimentel no partido.

    O cálculo não é muito difícil de compreender. Leprevost já é do time.

    Com o novo movimento, Ratinho teria nas mãos o prefeito de Curitiba, que passaria a ter uma reeleição tranquila, e também o seu sucessor – ninguém duvida que Eduardo Pimentel tem tudo para ser o candidato do grupo daqui a quatro anos.

    Mas a história ainda não está encerrada, e Leprevost tem aliados fiéis que pretendem manter o partido com ele.

    O secretário também teria a palavra de honra de Gilberto Kassab de que poderia disputar a eleição.

    Se isso vai ou não se confirmar, só se saberá no começo de abril, quando fecha a janela de transferência partidária.

  • 04mar

    RFI .FR

     

    Políticos franceses criticam prefeita de Paris por homenagem a Lula

     

    Luiz Inácio Lula da Silva, ao lado da prefeita de Paris no início da cerimônia em homenagem ao ex-presidente brasileiro.

    Alain JOCARD / AFP

     

    Vários políticos franceses, principalmente de centro e de direita, criticaram a cerimônia organizada nesta segunda-feira (2) em homenagem ao ex-presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, que recebeu o título de Cidadão Honorário da prefeitura de Paris.

    Eles contestam o fato de que a prefeita da capital, que tenta se reeleger este mês, estaria usando a presença do líder petista para sua campanha.

    A cerimônia oficial, que aconteceu no final da tarde na prefeitura de Paris, foi seguida de um comício de campanha de Anne Hidalgo, com a participação de Lula.

    E foi justamente o fato de ter recebido o líder petista em dois eventos distintos que irritou vereadores, principalmente do partido centrista (UDI) e da legenda de Emmanuel Macron (LREM).  

    “A senhora recebe hoje, como prefeita de Paris, o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva para entregar, nos salões do Hôtel de Ville (sede da prefeitura) o título de Cidadão Honorário da cidade”, escreveram em uma carta coletiva alguns conselheiros da prefeitura (cargo equivalente ao de vereador), entre eles Marie-Laure Harel, do LREM, Eric Azière, da UDI, e Olga Johnson, do movimento Radical (de esquerda).

    No entanto, continuaram, “após essa cerimônia oficial, na qual a senhora atua na função de prefeita de Paris, haverá um comício na mesma noite no Teatro de Gymnase, que terá como convidado de honra o ex-presidente Lula, e no qual a senhora atuará como candidata”.

    “Essa mistura de gêneros (…) nos leva a nos questionar quanto ao bom uso dos meios [finaceiros] da cidade”, escrevem os conselheiros, que pedem que a prefeita fique atenta a “toda a transparência necessária sobre a organização e a promoção desse evento”.

    A homenagem a Lula, que também conta com a presença da ex-presidente Dilma Rousseff e do ex-ministro da Educação Fernando Haddad, acontece a menos de quinze dias do primeiro turno da eleição municipal francesa, na qual Hidalgo é a principal candidata.

  • 04mar

    NOTÍCIAS ALEP

     

    DEPUTADO QUER FÁBRICA DE VEÍCULOS ELÉTRICOS DA TESLA NO PARANÁ

     

    Deputado Luiz Fernando Guerra (PSL).. Créditos: Orlando Kissner/Assembleia

     

    Para garantir a viabilidade e o interesse da montadora americana Tesla no estado do Paraná, o deputado Luiz Fernando Guerra (PSL) apresentou um requerimento endereçado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo – Sedest, órgão ao qual está vinculada a Agência InvestParaná (ex Agência Paraná Desenvolvimento – APD), responsável pela coordenação do Programa Paraná Competitivo, um dos principais atrativos para investimentos do Paraná.

    O deputado solicita providências urgentes e a necessidade de uma estratégia de atração desse investimento que deverá encaminhada para ciência dos órgãos do Governo Federal envolvidos com a viagem oficial do presidente da República aos Estados Unidos.

    A fim de assegurar a geração de emprego e renda com a implantação dessa unidade automobilística no Paraná, o expediente endereçado ao Secretário de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, solicita informações sobre as reais e possíveis condições para oferta de incentivos fiscais com o objetivo de atrair para o Paraná a implantação de uma unidade fabril da montadora de carros 100% elétricos, TESLA, empresa automotiva e de armazenamento de energia norte americana, que desenvolve, produz e vende automóveis elétricos de alto desempenho, componentes para motores e transmissões para veículos elétricos e produtos à base de baterias.

    O deputado Luiz Fernando Guerra destaca no documento que é público e notório a divulgação oficial por parte do presidente Jair Bolsonaro que durante a sua terceira viagem aos Estados Unidos, incluirá dentre seus compromissos, uma visita com a intenção de abrir negociações para trazer ao Brasil uma fábrica da TESLA, a montadora de carros elétricos.

    O deputado Guerra quer que a Assembleia Legislativa seja informada sobre quais as condições e benefícios que o Governo do Paraná poderá oferecer via Programa Paraná Competitivo, capazes de inserir o Paraná dentre os estados capazes de despertar o interesse empresarial dos executivos da TESLA.

    Guerra alega que é importante destacar, ainda, que apesar da atuação principal da empresa estar direcionada na fabricação e distribuição de automóveis elétricos, com a Tesla Motors, a companhia também atua em projetos de sustentabilidade envolvendo armazenamento de energia e a confecção de painéis solares, bem como na comercialização de componentes elétricos como baterias industriais de lítio-íon.

    Na justificativa do requerimento foi destacado que o governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou a lei que zera a alíquota do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de veículos elétricos até 31 de dezembro de 2022, com o específico objetivo de incentivar o uso de automóveis movidos à energia elétrica, que conferem maior eficiência e menor consumo em comparação àqueles movidos à combustão e também a Lei 19.982, que cria o Dia Estadual da Eletromobilidade.

    O Estado já conta com políticas de incentivo e a maior eletrovia do país, que corta o estado de Leste a Oeste via BR-277.

  • 04mar

    JORNAL DA CIDADE ONLINE

     

    Blogueiro de Nova iguaçu, inimigo de Lindbergh, surpreende internautas, sobre namoro com Gleisi

     

     

    A surpreendente revelação do namoro entre Lindbergh Farias e Gleisi Hoffmann tem causado diferentes reações e surpresa generalizada.

    Para todos os efeitos, “lindinho” ainda estava casado com a educadora Maria Antonia Goulart.

    Nem os companheiros petistas tinham conhecimento desse ‘enlace’ com a antiga colega da “Bancada da Chupeta”.

    Porém, entre as inúmeras manifestações, o comentário de um inimigo declarado de Lindbergh, o blogueiro Thiago Rachid, de Nova Iguaçu, onde o ex-senador foi prefeito por dois mandatos, chamou atenção e surpreendeu as redes sociais.

    Eis o que disse Thiago:

    “Pra mim, Lindbergh é um inimigo.

    Meu, de Nova Iguaçu, do RJ, do Brasil, do mundo e de toda a humanidade.

    Seguramente um dos piores seres humanos de que já tive notícia.

    Mas tem coisas que eu não desejo nem para um inimigo.

    Namorar com a Gleisi Hoffmann é um fim que eu nunca desejaria nem para este maldito.”

    Postagem de Thiago Rachid nas redes sociais

     

  • 03mar

    PLURAL/CAIXA ZERO/ROGERIO GALINDO

     

    Projeto que acaba com homenagens à ditadura irrita direita de Curitiba

    Internautas defendem que eliminar esses nomes seria acabar com homenagens a grandes nomes do país

     

    Avenida Castelo Branco. Foto: CMC

     

    Um projeto de lei da vereadora Maira Letícia (PV) proibindo nomes de ruas e praças que homenageiem personagens da ditadura está, por incrível que pareça, causando irritação em muita gente.

    Trinta e cinco anos depois da volta dos civis ao poder (e 56 depois do golpe militar), internautas defendem que eliminar esses nomes seria acabar com homenagens a grandes nomes do país.

    Desde que o projeto veio a público, muita gente liga para a Câmara para reclamar da vereadora, rotulando sua atitude como esquerdista.

    Em páginas ligadas à extrema direita, o projeto foi recebido com tremenda irritação. Veja alguns dos comentários abaixo.

    A ditadura instituída em 2003 já foi extirpada . Agora vivemos a democracia verdadeira. Apesar de que alguns ainda estão rasgando a boca de raiva.

    Mania do povo viver no passado, 64 já passou. Duvido que os militares querem isso de volta, agora o que eles querem e vão conseguir é que “nós” sim iremos colocar eles lá através do voto democrático. O homem foi eleito por voto democrático e venceu as eleições e muita dificuldade em entender isso???

    Ditadura nunca mais?!!! Como “nunca mais”, se nunca houve?!!!

    Fale por você!! Regime militar endireitou o Brasil!!!

    Tenho saudades da ditadura, não existia ladrão.

« Entradas anteriores   



Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota