Foi a partir de uma gravação em que o ex-chefe de Gabinete de Beto Richa, Deonilson Roldo, confessa que já estava montado um esquema para fraudar a licitação da PR-323 que o Ministério Público Federal abriu a Operação Piloto e o juiz federal Sérgio Moro tornou reús 11 envolvidos nas investigações.

Quem gravou foi um executivo da construtora Contern, Pedro Rache, mas quem entregou o áudio comprometedor ao MPF foi o empresário Tony Garcia – o mesmo que revelou ao Gaeco outro esquema de corrupção no governo e que gerou a Operação Rádio Patrulha, que acabou resultando na prisão temporária de Beto Richa e de 14 outros denunciados ao juiz estadual Fernando Fischer.

Tony deu duas entrevistas à Gazeta do Povo – uma sobre cada caso. A mais explosiva foi ao vivo no domingo (16) à noite, quando, por duas horas, ele contou em minúcias como nasceu o programa Patrulha do Campo e como os empresários que participaram do esquema pagavam propinas a título de “ajudar” nas campanhas eleitorais de Richa.

A segunda foi gravada, editada e veiculada na noite desta terça-feita pelo site da Gazeta.

Veja: