• 28jul

    Altair Francener
    ENFOQUE Comunicação & Eventos 

    Nos próximos meses, o prédio da Biblioteca Pública do Paraná vai passar por uma ampla reforma. O projeto de revitalização, assinado pelo arquiteto Manoel Coelho, pretende revigorar o local e devolver ao centro de Curitiba aquele que já foi um de seus grandes marcos.

    Inaugurada em 19 de dezembro de 1954, a biblioteca foi a única obra pública concluída a tempo das comemorações do centenário de emancipação do Paraná.

    De acordo com Coelho, as características originais do projeto de Romeu Paulo da Costa serão preservadas e as principais mudanças serão observadas no layout interno do prédio.

    “O térreo vai ganhar um café e terá uma área reservada para exposições e eventos artísticos”, explica o arquiteto.

    O auditório do segundo andar também será remodelado e o sistema atual de guarda volumes deve dar lugar a um novo, tirando a austeridade e o excesso de segurança da entrada.

    O principal objetivo do projeto idealizado por Coelho é o de tornar a biblioteca um lugar agradável, acessível e principalmente atrativo, algo que já se tornou uma das marcas registradas do arquiteto responsável por obras como o complexo da Universidade Positivo e o novo centro de eventos do Parque Barigui que foi inaugurado em junho.


  • 01fev

    JORNALE

    Projeto será presente da Associação Comercial para a cidade


    O arquiteto Oscar Niemeyer vai fazer o projeto do novo Centro Administrativo da Prefeitura de Curitiba.

    Ele vai fazer o projeto para a Associação Comercial do Paraná (ACP), que por sua vez dará o projeto de presente para a cidade no aniversário de 319 anos, no dia 29 de março próximo.

    “É um grande presente para a cidade, que já tem como um de seus símbolos o Museu Oscar Niemeyer. Agradecemos muito a Oscar Niemeyer e à Associação Comercial do Paraná pela viabilização deste projeto”, disse o prefeito Luciano Ducci.

    A confirmação do projeto ocorreu em reunião na tarde desta segunda-feira (30) no escritório de Oscar Niemeyer, no Rio de Janeiro, com a participação do presidente da ACP, Edson Ramon, e das secretárias municipais da Administração, Dinorah Botto Portugal Nogara, e do Urbanismo, Suely Hass.

    “Niemeyer nos pediu 15 dias para enviar a versão preliminar do projeto. Será um presente da Associação Comercial do Paraná à comunidade de Curitiba na comemoração de seus 319 anos de fundação”, disse Edson Ramon.

    “Uma das sugestões é que o projeto contemple um espaço específico para a ACP realizar cursos de treinamento e especialização, além de atividades artísticas e culturais”.

    A proposta é que o complexo administrativo seja construído na Linha Verde, no terreno hoje ocupado pelo Horto Municipal, no Guabirotuba.

    O terreno tem cerca de 100 mil metros quadrados e a área construída deverá ser de cerca de 50 mil metros quadrados. O horto será transferido para um terreno maior, na Barreirinha.

    A região da Linha Verde está passando por um processo de Operação Urbana Consorciada, com emissão de títulos de potencial construtivo na Bolsa de Valores, para investimento no desenvolvimento e na mudança do perfil urbano do eixo que vai desde o Contorno Sul até o Atuba.

    “A implantação do Centro Administrativo seria mais um importante indutor de desenvolvimento para a região da Linha Verde, além de permitir uma integração administrativa dos órgãos do Município”, disse Dinorah Nogara.

    Com 104 anos de idade, Niemeyer é o mais importante arquiteto brasileiro e reconhecido mundialmente. Foi pioneiro na exploração das possibilidades construtivas e plásticas do concreto armado.

    Em 1988, recebeu o Prêmio Pritzker, considerado o “Nobel da Arquitetura”.

    Seus trabalhos mais conhecidos são os edifícios públicos que desenhou para Brasília, como os Palácios da Alvorada e do Planalto, a Catedral e o edifício do Congresso Nacional.

    Tem projetos em vários lugares do mundo, entre eles a sede da ONU, em Nova York, feita a partir de um desenho conjunto de Niemeyer e do francês Le Corbusier.

    Niemeyer também projetou o Parque Ibirapuera, em São Paulo; o Terminal Rodoviário de Londrina; o conjunto da Pampulha, em Belo Horizonte; e o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, entre outras obras.

    Em 2002, Niemeyer fez o projeto do Museu Oscar Niemeyer, no Centro Cívico de Curitiba, prédio que se tornou um dos símbolos da capital paranaense com um anexo em forma de olho.

    Niemeyer também projetou a Cidade Administrativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte, inaugurada em 2010 para abrigar secretarias e órgãos do governo estadual.

  • 03dez

    SMCS

    O prefeito Luciano Ducci (PSB) anunciou a implantação de um viaduto estaiado (suspenso com cabos de aço) na confluência das avenidas Comendador Franco (avenida das Torres) com a Coronel Francisco H. dos Santos.

    A obra será um marco arquitetônico na entrada de Curitiba próximo ao Aeroporto e a cidade vizinha de São José dos Pinhais e vai melhorar a ligação viária entre os bairros Boqueirão, Hauer, Xaxim, Uberaba e Jardim das Américas, Cajuru e BR-277.

    Serão beneficiados pelo viaduto cerca de 300 mil moradores dos seis bairros e também aqueles que entram ou saem da cidade pelo aeroporto ou pela BR-376 que liga a Santa Catarina.

    “É uma obra que ajudará a melhorar a mobilidade num importante corredor viário da cidade, e ao mesmo tempo agregará valor estético à paisagem urbana. Será um cartão postal para quem chega a Curitiba vindo do Aeroporto Internacional Afonso Pena, por exemplo, diz o prefeito Luciano Ducci que esteve nessa quinta-feira (1) no Ippuc para discutir detalhes desse e de outras obras para a cidade.



    O projeto do viaduto estaiado que está sendo elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) preserva a possibilidade de implantar no futuro um novo modal de transporte no canteiro central da avenida das Torres.

    O uso dos cabos elimina a necessidade os pilares que normalmente são usados como sustentação de viadutos tradicionais.

    “A opção por esse tipo de viaduto (estaiado) garante a reserva de uma área importante da via para ser usada futuramente. É uma obra feita com muito planejamento, pensando em resolver os problemas atuais sem perder de vista o futuro”, explica o presidente do Ippuc, Cléver de Almeida.



    Copa do Mundo

    O novo viaduto faz parte do pacote de obras para o Corredor Aeroporto/Rodoferroviária, que tem ainda a remodelação da avenida Comendador Franco (avenida das Torres) em cerca de 10 quilômetros.

    Essas obras fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento da Copa – PAC da Copa 2014, financiado pelo Governo Federal.

    O viaduto por cima da avenida das Torres terá um vão livre de 134 metros suspenso por 11 cabos de um lado e 10 no sentido reverso. Os cabos são ancorados num mastro de 69 metros de altura.

    O tabuleiro do viaduto terá 25 metros de largura com quatro faixas de circulação, duas em cada sentido da via. Além das pistas, o viaduto terá ciclovia compartilhada nas duas laterais para o trânsito seguro de ciclistas e pedestres.

    Com o viaduto serão eliminados os semáforos no cruzamento dessas duas avenidas e fluxo será contínuo tanto pela avenida das Torres como pela Francisco H. dos Santos.

    A passagem do aeroporto para Curitiba nesse trecho será livre, por exemplo.

    Além dos veículos, o ônibus do transporte coletivo também serão beneficiados com a obra, pois além de ser uma importante ligação de duas partes da cidade, o cruzamento fica numa região de intenso comércio e serviço.

   Próximas entradas »



Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota