Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 11mar

    AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

     

    Governo prioriza o processamento da produção agropecuária

     

    O governador em exercício Darci Piana participou nesta sexta-feira (8) da abertura da 48º Exposição Agropecuária e Industrial de Paranavaí (ExpoParanavaí), uma das principais feiras de agronegócio da região Noroeste do Estado. Presentes: presidente da Sociedade Rural do Noroeste do Paraná, Mario Helio de Almeida; secretário de Agricultura, Norbeto Ortigara; entre outros.Paranavaí, 08-03-19.Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

     

    O governador em exercício Darci Piana participou nesta sexta-feira (8) da abertura da 48º Exposição Agropecuária e Industrial de Paranavaí (ExpoParanavaí), uma das principais feiras de agronegócio da região Noroeste do Estado.

    Ele afirmou que entre as prioridades do Governo do Estado para o setor estão o processamento da produção agropecuária para agregar valor aos produtos e a diversificação do modal logístico, que visa diminuir os custos de produção.  

    Piana destacou que o Paraná é um dos grandes celeiros do mundo e talvez o maior produtor de alimentos por metro quadrado.

    “Além do que produzimos para vender para outros estados brasileiros e países, a preocupação do governo é que não sejam exportados só os grãos, mas que eles sejam transformados em produtos acabados para conseguir agregar valor, gerando mais emprego e renda”, afirmou.

    O governador em exercício ressaltou que o Estado se prepara para atingir um novo patamar com investimentos em tecnologia e apoio aos produtores.

    “Se não temos mais muito espaço para aumentar nossa capacidade em área de terreno, precisamos melhorar a qualidade de produção. Isso requer investimentos, conhecimento e inovação”, disse.

    Entre os projetos de infraestrutura, explicou o governador em exercício, estão previstos investimentos em ferrovias, aeroportos e a modernização das malhas viária e portuária.

    “Vamos apresentar em breve um projeto global de investimentos, que busca diminuir o custo do escoamento da produção agropecuária”, acrescentou.

    EXPOPARANAVAÍ– A Sociedade Rural do Noroeste do Paraná, responsável pela organização da ExpoParanavaí, espera receber 200 mil pessoas e gerar R$ 40 milhões em negócios nos dez dias de evento, que segue até o dia 17 de março. 

    “A feira mostra a relevância do agronegócio paranaense, faz novos negócios e traz inovações para agricultores avançarem em seus negócios”, afirmou o secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara.

    Na programação estão palestras técnicas, vitrine rural, comercialização de máquinas e implementos agrícolas, shoppings de touros (raças zebuínas e europeias), leilões e outras oportunidades de negócios à disposição dos produtores rurais.

    Além disso, os visitantes também podem assistir a shows de duplas sertanejas e rodeios e participar de atrações infantis.

    Para o presidente da Sociedade Rural, Mário Hélio de Almeida, o clima de otimismo no País deve gerar bons negócios durante a feira, que tem a expectativa de quebrar recordes de público e arrecadação.

    “Com os novos governos estadual e federal já instalados, a economia dando sinais de recuperação e um crescente clima de otimismo na população, temos uma expectativa enorme em relação ao evento”, disse.

    APOIO – O Governo do Estado apoia a ExpoParanavaí por meio de diversos órgãos. A Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento tem um estande para divulgar seus programas e ações.

    Já a Copel, o Banco de Desenvolvimento da Região Sul (BRDE) e a Sanepar estão entre os patrocinadores. 

    PARTICIPAÇÕES – O diretor administrativo do BRDE, Orlando Pessuti, também acompanhou o evento, além de prefeitos e dirigentes da Sociedade Rural do Noroeste do Paraná.

  • 25jan

    AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

     

    Governo quer melhorar infraestrutura e agregar valor à produção rural

     

    O governador Carlos Massa Ratinho Junior e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, participam do evento que marca a abertura nacional da colheita da soja. Apucarana, 24/01/2019. Foto: Rodrigo Felix Leal/ANPr

     

    O governador Carlos Massa Ratinho Junior afirmou nesta quinta-feira (24) que a industrialização e agregação de valor à produção rural, além do aperfeiçoamento da infraestrutura, são os principais desafios do Estado para contribuir com o desenvolvimento do setor agropecuário paranaense.

    “O Paraná tem o agronegócio como vocação. Mas precisamos avançar. O poder público tem que criar ambiente para que a produção rural seja industrializada ao máximo, porque isso acrescenta valor ao produto e aumenta a renda do produtor”, afirmou Ratinho Junior ao participar do evento que marca a abertura nacional da safra de soja.

    O Governo do Paraná, afirmou Ratinho Junior, trabalhará pela diversificação de modais para melhorar o escoamento da produção estadual.

    “Hoje temos um problema, porque produzimos mas não conseguimos escoar com qualidade para mundo. Precisamos de um sistema inteligente de infraestrutura para entregar a produção por um preço menor e de forma mais rápida”, afirmou.

    O governador ressaltou que tem um planejamento audacioso para diversificar a infraestrutura, com dois projetos principais.

    “Um é a ferrovia ligando Maracaju (MT) ao Porto de Paranaguá. O outro é criar a ferrovia bioceânica entre os portos de Paranaguá e Antofagasta, no Chile”, explicou.

    HUB LOGÍSTICO – Este projeto, destacou Ratinho Junior, vai ampliar as exportações brasileiras, em especial a paranaense, para a Ásia, além de possibilitar a exportação de minério do Chile pelo Porto de Paranaguá.

    “Isso fará com que o Paraná se torne um hub logístico da América Latina. Poderemos atender todo o Centro-Oeste e o Sul do País”, disse.

    SEGURO – Realizada em Apucarana, a abertura da colheita da soja teve a participação da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina; do secretário da Agricultura e Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara; de lideranças do setor de todo o Estado e produtores rurais.

    Segundo maior produtor de soja do Brasil, com cerca de 16% da produção nacional, o Paraná deverá colher 16,5 milhões de toneladas do grão em 2019.

    No evento, Ortigara apresentou os números do primeiro levantamento do ano de estimativa de colheita, apontando queda na produção, em função do clima. A redução, no caso da soja, deverá ser de 14%.

    Em painel que reuniu o governador Ratinho Junior, o presidente da Frente Parlamentar da Agricultura, Alceu Moreira, e o presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz, a ministra Tereza Cristina esclareceu dúvidas do setor produtivo com relação à colheita e sobre o seguro rural.

    “O seguro rural democrático e amplo será uma marca do Ministério da Agricultura nesta gestão. Se tivéssemos um seguro que atendesse a todos não teríamos produtores rurais sem dormir por não saber como pagar a conta, tendo que ir a bancos pedir a renegociação de suas dívidas”, afirmou.

    Apesar da redução, lembrou a ministra, a safra continua grande.

    “No ano passado foram quase 118 milhões de toneladas, neste ano a previsão é baixar para quase 110 milhões. Infelizmente foi um ano difícil em termos de clima para muitos estados. Mas o nosso compromisso é achar uma maneira de seguro que seja barata para os produtores”.

    Segundo o USDA a produção mundial de soja será de 369,2 milhões de toneladas.

    SAFRA – O evento que marca o início da colheita da safra de soja 2018/2019 é promovido pelo Canal Rural, Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) e Aprosoja Paraná.

    “A safra ainda será boa e vai abastecer os segmentos de porcos, frangos, indústria e a exportação”, afirmou o secretário Norberto Ortigara.

    Segundo ele, a perda no caso da soja deve ser de 2,7 milhões de toneladas, o que representa cerca de R$ 3 bilhões no preço de hoje.

    “É bom que o mercado saiba disso para achar uma posição de preço mais adequada”, ressaltou.

    APOIO – Ortigara salientou que o governo dará o atendimento necessário aos produtores. “O Estado faz aquilo que é possível em termos bancários, prorrogação das dívidas e para zelar por um bom tratamento aos agricultores”, disse.

    A produção de soja rendeu R$ 20,35 bilhões para o Paraná em 2017, de acordo com o levantamento mais recente do Deral.

    Segundo dados da Emater, em 2018 eram cerca de 125 mil produtores de soja no Paraná. A produção paranaense de soja no ano passado foi de 19,1 milhões de toneladas.

    PRESENÇAS – Participaram do evento o secretário Nacional de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Eduardo Sampaio Marques; o vice-presidente de Agronegócio do Banco do Brasil, Luís Carlos Guedes Pinto; o presidente da Aprosoja Paraná, Márcio Luiz Bonesi; os secretários de Estado do Planejamento, Waldemar Bernardo Jorge; e da Saúde, Beto Preto; os presidentes da Faep, Ágide Meneguette; da Ocepar, José Roberto Ricken, e da Conab, Francisco Marcelo Rodrigues Bezerra; o empresário Carlos Massa, os deputados federais Sérgio Souza; Osmar Serraglio; Luiz Nishimori; Alex Canziani e Luiz Carlos Hauly; os deputados estaduais Tião Medeiros; Luiz Carlos Schiavinato; Alexandre Curi; Cobra Repórter; e Tiago Amaral; os deputados eleitos Luisa Canziani; Marcel Micheletto e Adriano Jose; o senador eleito pelo Rio Grande do Sul, Luís Carlos Heize; e o prefeito de Apucarana, Sebastião Ferreira Martins Junior.

  • 08dez

    SITE OFICIAL DE RATINHO JUNIOR

     

    “VAMOS POTENCIALIZAR A VOCAÇÃO DO AGRONEGÓCIO NO PARANÁ”

     

    Vamos potencializar a vocação do agronegócio no Paraná

     

    Agronegócio

    Nesta quinta-feira, 6, o governador eleito Ratinho Júnior participou do Encontro Estadual promovido pelo Sistema Ocepar, que integra três sociedades distintas – Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop-PR) e a Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar), no Teatro Positivo, em Curitiba.

    Na ocasião, o presidente da organização, José Roberto Ricken apresentou os principais números do setor relativos a 2018.

    Neste ano, 215 cooperativas vinculadas ao Sistema Ocepar devem atingir o faturamento de R$ 83,5 bilhões, o que representa um crescimento de 18,9% em relação ao montante obtido no ano passado, que foi de R$ 70,3 bilhões.

    Ratinho Junior foi um dos palestrantes e destacou a importância do agronegócio no Estado.

    “Nossa vocação é ser o celeiro do mundo, e nós vamos assumir essa bandeira, nós somos a fazenda do planeta, essa é a nossa vocação e é isso que nós vamos assumir.

    “Me reuni com o presidente Jair Bolsonaro e discutimos um projeto que está parado desde a década de 90 e eu vou desengavetar”.

    “Vamos ligar o porto de Paranaguá até o Chile, vamos fazer o maior corredor de exportação da América latina. Todo centro oeste brasileiro até o sul vai exportar para a Ásia pelo Chile e para a Europa por Paranaguá”.

    Ratinho Junior destacou, também, que são os investimentos que geram empregos.

    “E é por isso que a força do cooperativismo é tão importante para o nosso Estado. Saí deste encontro muito satisfeito e desejo que a parceria do Governo com as cooperativas seja cada vez mais estreita e eficiente”, finalizou Ratinho Junior.

    Exportações
    As exportações do setor atingiram US$ 3,9 bilhões neste ano, montante 17,67% superior ao de 2017.

    Investimentos
    As cooperativas paranaenses estão fechando o ano contabilizando R$ 1,9 bilhão em investimentos e R$ 2,1 milhões em impostos recolhidos.

    Empregos
    Neste ano, houve também um aumento de 3,8% nos empregos diretos gerados, passando de 93.144 postos em 2017 para 96.666 neste ano.

  • 22nov

    BEM PARANÁ/BLOG DO TUPAN

     

    Ratinho Junior reafirma estratégias de crescimento do agronegócio

     

    Ratinho Junior reafirma estratégias de crescimento do agronegócio
    (Foto: Divulgação )O governador eleito do Paraná, Ratinho Junior (PSD), participou do Fórum Estadão de Agronegócio Sustentável promovido pelo Estadão, em São Paulo. No evento, orientado para os principais operadores do mercado, reafirmou que o seu governo vai potencializar a vocação do estado na produção de alimentos.

    O governador eleito detalhou algumas ações que pretende desenvolver em seu governo para tornar o Paraná cada vez mais competitivo.

    “Temos que superar antigos gargalos de infraestrutura e buscar o alinhamento das tecnologias, com a conectividade do campo com  as novas tendências”.

    Lembrou que quanto mais aumentarmos a nossa eficiência e  produção também teremos reação de outros competidores desse mercado e por isso temos que ser mais competitivos.

    “A extensão da pesquisa para nos tornarmos uma referência em biotecnologia animal e vegetal será uma das bases dessa busca por eficiência e mais competitividade”.