Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 30jan

    BLOG DE RODRIGO CONSTANTINO/GAZETA DO POVO

     

    Por que tanta má vontade com Trump e Bolsonaro?

     

     

    Trump é uma ameaça para a democracia americana, berraram aqueles que chegam a quase simpatizar com ditaduras socialistas mundo afora.

    Bolsonaro é um nazifascista que vai destruir as instituições democráticas brasileiras, gritaram aqueles que chegam a defender até Maduro na Venezuela.

    Quando se parte da premissa de que ambos representam governos tirânicos em potencial, fica parecendo que toda crítica, por mais forçada que seja, é louvável, e nenhum elogio é permitido. A conclusão foi tomada antes de qualquer análise dos fatos.

    Essa postura, também chamada de desonestidade intelectual em outras circunstâncias, está no cerne do viés de muitos “analistas” quando o assunto é Trump ou Bolsonaro.

    Há clara má vontade dessa turma na hora de julgar questões isoladas que dizem respeito a esses governos.

    “Admitir que pessoas inteligentes e honestas discordam da gente de forma legítima é a base da democracia civilizada. É a base da inteligência também, da humildade. Infelizmente, isso tem sido bem raro de se encontrar no debate político, especialmente no lado esquerdo (mas não há exclusividade, claro).

    O que tem de gente que enxerga o “lado positivo” da sangrenta Revolução Francesa, que degolou inúmeras vítimas inocentes e levou ao regime ditatorial de Napoleão após o Terror, ou que busca relativizar a ditadura chinesa, apontando conquistas econômicas, ou ainda que reconhece vantagens até dos regimes opressores do Oriente Médio, mas que é incapaz de elogiar uma só coisa dos governos Bolsonaro e Trump, não está no gibi!

    O público percebe esse duplo padrão, e por isso parte da imprensa perde credibilidade de forma contínua. Trump não é um ditador e a democracia americana não está ameaçada.

    Bolsonaro já deu várias declarações infelizes e, de fato, defendeu gente indefensável, mas como disse o ministro Sergio Moro no Pânico, alguns “analistas” estarão falando dos enormes riscos à democracia no último dia de governo, talvez no segundo mandato, quando a faixa presidencial estiver prestes a ser transferida de forma regular e pacífica.

    Apontar erros é função primordial do jornalismo. Mas é preciso ter senso das proporções e, acima de tudo, coerência.

    Qual o sentido de se derreter de amores pelo regime chinês ou pelo legado sombrio da Revolução Francesa enquanto destila tanto ódio por Trump e Bolsonaro?

    Publicado por jagostinho @ 10:56



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.