Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 24jul

    RENOVA MÍDIA

     

    A ‘cruzada’ do governo Bolsonaro contra o progressismo cultural

     

    “Todo artista que não se alinha com a esquerda é boicotado, difamado e impedido de trabalhar”, afirmou o diretor Alvim

     

    A ‘cruzada’ do governo Bolsonaro contra o progressismo cultural

     

    Por decisão do presidente da República, Jair Bolsonaro, o diretor de teatro Roberto Alvim vai comandar o Centro de Artes Cênicas da Fundação Nacional de Artes (Funarte).

    Alvim, de 46 anos, prepara forças para lançar uma “cruzada” contra o progressismo que, segundo afirma, ameaça a “civilização judaico-cristã”.

    Em mensagem pelas redes sociais, o dramaturgo convocou as pessoas “que se alinham aos valores conservadores” no mundo do teatro para “criar uma máquina de guerra cultural”.

    Resta ver se seu chamado aumentará a pressão sobre artistas acusados de propagar o “marxismo cultural” ou valores contrários à família tradicional.

    Para Alvim, a movimentação trata-se de uma aguardada contra-ofensiva.

    Em conversa pelo WhatsApp com a agência AFP, o diretor teatral afirmou:

    “Não fui eu que inventei a guerra cultural – ela é perpetrada de modo brutal pela esquerda há pelo menos 30 anos no Brasil. Todo artista que não se alinha com a esquerda é boicotado, difamado e impedido de trabalhar – como aconteceu comigo.”

    No comando do Centro de Artes Cênicas da Funarte, Alvim agora pretende:

    “Equilibrar esse jogo, fomentando e dando meios materiais para a criação de obras de arte (…) que emancipem poeticamente o espectador, ao contrário de obras pautadas por uma agenda progressista e que promovem um discurso ideológico dirigista.”

    Alvim acrescentou:

    “Vou revitalizar a rede federal de teatros, estimulando a criação de companhias de repertório clássico, assim como a escritura de obras contemporâneas que tenham como referência a complexidade técnica e a profundidade de visão das obras de Shakespeare, Nelson Rodrigues, Ésquilo, Strindberg, Ibsen.”

    E completou:

    “Sim. Trata-se de uma luta similar às Cruzadas. Assim como os guerreiros cristãos do passado, estamos combatendo em prol de nossa civilização judaico-cristã, e contra a sua destruição pelas forças progressistas.”

    Publicado por jagostinho @ 18:39



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.