Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 16jul

    GAZETA DO POVO/ALEXANDRE GARCIA

     

    O que dissolveu o acampamento Lula Livre: o frio ou a falta de dinheiro?

     

    O frio chegou ou o dinheiro acabou: acampamento Lula Livre está com quorum baixo.| Foto: Rafael Ribeiro / Fotos Públicas

     

    Segunda-feira (15) foi dia de boas notícias. Como toda segunda, saiu o boletim Focus do Banco Central e pela primeira vez no ano a expectativa é de crescimento do PIB.

    Para uma economia crescer nós precisamos de otimismo e entusiasmo, porque acreditando que as coisas vão dar certo no futuro é que se investe hoje. Assim se constrói o futuro.

    Isso aconteceu no mesmo dia em que a previsão do PIB da China aparece como a mais baixa destes últimos anos: pouco mais de 6% ao ano.

    Imaginem que o Brasil já cresceu uma média de trienal de 11,2% ao ano. Isso mostra como a gente está lá embaixo depois desta recessão histórica do governo Dilma.

    Há essa boa expectativa por causa da reforma da Previdência ter passado no primeiro e mais difícil dos turnos. Abriram-se as portas para votar o restante, em agosto e setembro, considerando o Senado.

    Essa expectativa gerou a baixa do dólar que já tinha ultrapassado os R$ 4,00, e agora está em R$ 3,75. A bolsa de valores também passou dos 100 mil pontos e agora está se estabilizando acima disso, com 104 mil pontos.

    No tempo da recessão de Dilma, estava em 43 mil pontos.

    Bem-vindos, investimentos!

    Houve um anúncio, na segunda-feira (15), pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que é uma das estrelas deste governo.

    Ele anunciou que investimentos de R$ 208 bilhões serão gerados por concessões na área de transportes.
    O ministro chamou isso de um “surto de investimento” e, claro, de emprego também.

    Serão investidos, no total, R$ 208 bilhões: nas rodovias R$ 140 bilhões; nas ferrovias R$ 54 bilhões, muito bem-vindos porque um país deste tamanho precisa de ferrovias; nos portos R$ 4 bilhões, que eu acho pouco, um país com esse litoral todo podendo estimular a cabotagem; e em aeroportos R$ 10 bilhões.

    Ele deu também uma boa notícia para quem usa a principal rodovia do país, a Rio – São Paulo, a Dutra: vai ter o pedágio reduzido porque vai haver um cálculo por quilômetro.

    Outra boa notícia, principalmente para os caminhoneiros, é que Freitas disse que não vai ter mais o radar surpresa, o radar móvel, confirmando o que já tinha dito o presidente. Continuam existindo os radares fixos, inclusive o número está sendo aumentado.

    O radar móvel é aquele em que lá no fim de uma descida esperava o caminhoneiro que não conseguia segurar o caminhão, inclusive para não tirar fumaça dos freios.

    Quanto à reforma da Previdência…

    A reforma recomeça a ser votada dia seis de agosto. Já estão contando as cinco sessões necessárias entre um e outro turno de votação – já se contou ontem (15), pois se conseguiu o quórum de 10%, que é o mínimo para se fazer uma sessão.

    Pela foto, o plenário vazio, mas na presença foi registrado que tinham 51 deputados, exatamente os 10% sobre 513 – que é o total.

    Acampamento Lula Livre dissolvido

    Aquela vigília do acampamento Lula Livre em Curitiba foi dissolvido pelo frio. As pessoas resolveram sair, talvez tenha esgotado também o dinheiro que sustentava aquelas pessoas, era mais de uma centena de pessoas, durante todo esse tempo.

    E aí a gente fica a perguntar: será que é dinheiro de doador? De onde é que vem esse dinheiro para o acampamento Lula Livre?

    Tem muita gente achando que é daquela cota partidária.

    Depois vai faltar para a campanha eleitoral.

    Publicado por jagostinho @ 12:27



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.