Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 08jun

    ROGÉRIO GALINDO/GAZETA DO POVO

     

    Quantas vezes Beto Richa foi traído?

     

     

    Dizem que uma das grandes virtudes do bom governante é escolher seu time. Ninguém tem como cuidar de um governo gigante sozinho (algo que Roberto Requião se recusa a aceitar), e é preciso delegar.

    Mas para deixar a gestão nas mãos de terceiros, é preciso saber escolher.

    Beto Richa sempre se orgulhou de ser bom em montar seu time de governo. Até que a coisa começou a desandar.

    De um tempo para cá, a cada denúncia – e as denúncias foram aparecendo cada vez mais graves e com maior regularidade – ele diz ter sido traído por alguém.

    Todo o trio mais próximo do governador se meteu em escândalos sérios.

    Ezequias Moreira foi pego com a mão no jarro. Traído, Beto não só “perdoou” como promoveu o traidor.

    Luiz Abi foi preso e, de grande amigo, virou “um primo distante”.

    Deonilson Roldo tem até gravação negociando obras com empreiteiras. Beto não sabia de nada.

    Da entourage mais miúda, foi preso o chefe da fiscalização da Receita, que corria de carro com Beto Richa e foi promovido em sua gestão. Outra decepção.

    Sem falar no fotógrafo que até tatuou o nome do ex-governador no braço, publicou selfie dos dois abraçados e que, preso, virou desconhecido.

    As mais novas decepções incluem Maurício Fanini e Nelson Leal.

    Fanini é um antigo conhecido que diz ter recebido ordens diretas de Beto para desviar dinheiro.

    Mas agora Richa diz que as viagens internacionais dos dois só aconteceram porque Fanini se intrometia nos passeios para demonstrar amizade com ele. Ué? Não dava para dizer não?

    Nelson Leal foi outra frustração do governador. O chefe do DER foi outro que parou numa cela.

    E agora estaria negociando uma delação que dizem ser bem cabeluda.

    Em entrevista a Denian “Ficou Excelente” Couto nesta quinta, Beto disse que é impossível acompanhar as atividades de 190 mil funcionários da ativa, presidentes de estatais, dezenas de secretários.

    Claro que é. Mas as pessoas que estão sendo pegas não são concursados em Altônia e Barra do Jacaré.

    São as pessoas mais próximas a ele, indicadas pessoalmente por ele.

    E Beto foi traído, veja só, por todos eles.



    Publicado por jagostinho @ 13:27



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Tayco Disse:

    Pois é nobre idiota.
    Não apreendeu que deve-se manter os amigos por perto e os inimigos mais ainda.
    Após a sofrida campanha de 2004, virou o rei do pedaço e “chutou” os amigos que trabalharam arduamente e carregaram o “mala sem alça” que não sabia sequer dar uma entrevista. Explicando: Na rádio elaboramos a entrevista com perguntas e respostas para ele não se perder.
    Por acaso o seu saudoso pai reclamou uma vez sequer de ter sido traído?
    Lamento e mais um punhado de amigos meus que a pedido deste, confiamos em você piá de prédio.
    Até seu padrinho Scalco pulou fora dessa canoa. Sintoma de que você não era digno de confiança.
    Que vergonha!

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.