Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 26ago

    O GLOBO

     

    Delação de ex-governador do MT é ‘monstruosa’, afirma ministro do STF

     

    Luiz Fux determinou a abertura de inquérito para apurar denúncias

     

    O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF) EDILSON DANTAS / AGÊNCIA O GLOBO 12/06/2017

    BRASÍLIA – O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), qualificou nesta sexta-feira de monstruosa a delação do ex-governador do Mato Grosso Silval Barbosa e mais quatro pessoas ligadas a ele.

    Fux determinou hoje a a abertura de um inquérito para apurar as suspeitas de que uma organização criminosa atuou no governo do Mato Grosso entre 2006 e 201, com base na delação de Silval.

    — A delação é monstruosa pelo número de anexos, pelo número de crimes delatados e pelo número de autoridades envolvidas — avaliou Fux.

    O inquérito foi pedido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Não há indicação de investigados no inquérito.
    Entre os suspeitos de terem cometido crimes está o ministro da Agricultura, Blairo Maggi.
    Também a pedido de Janot, Fux determinou nesta sexta-feira o fim do sigilo que pairava sobre as delações.

    As investigações estão distribuídas em quatro volumes e 15 apensos.

    Ao todo, são cinco delatores: Silval Barbosa; a mulher dele, Roseli de Fátima Meira Barbosa; o ex-chefe de gabinete dele, Silvio Cezar Correa Araujo; além dos parentes Rodrigo da Cunha Barbosa e Antonio da Cunha Barbosa.

    No acordo firmado com o Ministério Público, o ex-governador concordou em cumprir pena de 20 anos de reclusão, sendo 3 anos e 6 meses em regime domiciliar diferenciado, com uso de tornozeleira; 2 anos e seis meses no regime semiaberto, com tornozeleira e recolhimento em casa das 22h às 6h; e o restante da pena em regime aberto, sem tornozeleira, mas com a obrigação de comparecer todo mês diante de um juiz.

    Durante o cumprimento de toda a pena, ele ficará impedido de ocupar cargo público.

    Ele também em pagar uma indenização de mais de R$ 70 milhões.



    Publicado por jagostinho @ 16:19



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.