Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 02out

    INFORME PARANÁ

     

    O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, em parceria com o deputado Gilson de Souza, líder da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, protocolou na Assembleia Legislativa do Paraná projeto de lei que cria o Estatuto Estadual dos Direitos do Feto e da Gestante, que prioriza a saúde das grávidas e dos bebês em gestação.

    Segundo Leprevost “o Estatuto Estadual dos Direitos do Feto e da Gestante pretende estabelecer uma postura mais humanitária do Poder Público em relação aos bebês em gestação e garantir a eles, e as gestantes, os cuidados básicos de saúde”, afirmou.

    De acordo com o texto, é dever do Estado, da sociedade e da família assegurar à gestante e ao feto, a expectativa do direito à vida, à saúde, à alimentação, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar, além de coloca-los a salvo de toda e qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

    O projeto também propõe que o feto deficiente tenha a sua disposição todos os meios terapêuticos e profiláticos existentes para reparar ou minimizar suas deficiências.

    Fica vedado ao Estado e aos particulares discriminar a gestante e o feto, privando-os da expectativa de algum direito, em razão de idade, etnia, origem, deficiência física ou mental.

    O Estatuto Estadual dos Direitos do Feto e da Gestante, ainda assegura a fetos concebidos em atos de violência sexual o direito a assistência pré-natal, com acompanhamento psicológico da gestante e direito prioritário a adoção, caso a mãe não queira assumir a criança após o nascimento.

    Segundo o texto, os bebês em gestação devem ser objeto de políticas sociais públicas que permitam seu nascimento, desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência, devendo ser assegurado ao feto e a gestante o atendimento em igualdade de condições através do Sistema Único de Saúde (SUS).

    (Via Assessoria de Imprensa – Rodrigo França) 

    Publicado por jagostinho @ 11:43



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.