Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 09set

    TRIBUNA DO PARANÁ

     

    Cores da poluição

     

    Povão fica na bronca com poluição do Rio Bacacheri

     

     

     

     

    O encontro de águas com diferentes colorações, que correm juntas e não se misturam, nem sempre é um fenômeno da natureza, como ocorre com os rios Negro e Solimões, no Amazonas.

    Em Curitiba, o Rio Bacacheri, que empresta seu nome ao bairro, e o córrego que corre pela Rua Vicente Ciccarino passam por algo parecido, mas ali, a diferença na cor da água é causada pela poluição, que faz com que o rio cristalino seja exposto ao escuro e mal cheiroso córrego.

    Um problema que vem incomodando a população, pois, além do cheiro ruim, com o esgoto correndo a céu aberto em um trecho de mais de três quadras, aparecem no local muitos insetos, ratos e outros animais indesejados.

    Preocupado com a qualidade da água e bem-estar da comunidade, o presidente da Associação de Moradores do Conjunto Solar (Assolar), Luiz Tadeu Seidel Bernardina, é um dos que reclamam da poluição no córrego.

    Segundo ele, a contaminação da água acontece porque a canalização por onde passa a rede de esgoto é antiga e foi construída muito perto do córrego.

    Além disto, muitas casas ainda estariam com suas ligações de esgoto funcionando de maneira irregular.

    “Para melhorar esta situação esperamos que seja feito o que já foi previsto anteriormente, que o sistema de coleta de esgoto seja revisto e que as casas tenham suas ligações regularizadas. Não podemos ficar esperando enquanto os órgãos do poder público seguem neste jogo de empurra-empurra, sem se responsabilizarem pelo problema” diz.

    O que dizem os responsáveis

    Foto: Ciciro Back.

    População reclama do mau cheiro. Foto: Ciciro Back.

     

    A Sanepar informa que está em andamento o diagnóstico das redes da região e que há uma programação para realizar vistorias técnicas de rede (VTR) e vistorias técnicas ambientais (VTA) ainda em 2015.

    “Com o VTR, é possível verificar redes danificadas para reparos imediatos ou programados, com a realização de teste de fumaça (que possibilita a identificação de redes danificadas e ligações irregulares de água de chuva na rede coletora de esgoto).

    O VTA permite localizar ligações irregulares de esgoto na drenagem pública e diversas outras situações de irregularidades que impactam na qualidade das águas do córrego da região”.

    Quando identifica irregularidade em algum imóvel, a Sanepar notifica o proprietário e informa a prefeitura.

    Só a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA) e a Vigilância Sanitária podem autuar e exigir a adequação do imóvel.

    Info Sanepar

    Na bacia do referido córrego, a Sanepar atende a um total de:

    2.730 ligações de esgoto, das quais 409 ligações apresentam algum tipo de irregularidade, o que acaba contribuindo para ocorrência de vazamentos de esgoto e depreciação das redes instaladas.

    Na bacia em questão, são 37.927 m de rede coletora de esgoto, com aproximadamente 3.280 imóveis irregulares, que apresentam falta de caixa de gordura, esgoto não interligado, água de chuva na rede, imóveis com problema interno, entre outros problemas.

    Publicado por jagostinho @ 11:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.