Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 13maio

    PARANÁ ONLINE

    Professores não voltam e servidores ameaçam greve geral no Paraná

    .

    A pressão de um protesto que reuniu cerca de mil pessoas não deu resultado e a reunião realizada nesta terça-feira (12), no Palácio das Araucárias, em Curitiba, terminou sem que o governo do Paraná apresentasse uma proposta de reajuste salarial aos servidores estaduais.

    Com a falta de acordo, os representantes dos trabalhadores se revoltaram e saíram do encontro ameaçando realizar uma greve geral. A intenção da administração estadual é a de realizar uma nova reunião no dia 19 de maio.

    No entanto, o Fórum dos Servidores Estaduais (FES) informou que não vai comparecer ao encontro se o governo não apresentar uma proposta de reajuste antes de sua realização.

    A entidade deu até uma data: quer um número até esta quinta-feira (15). “Não tem mais reunião. Queremos um índice e pronto”, disse Marlei Fernandes, diretora de Finanças da APP-Sindicato e representante do fórum.

    O impasse já era anunciado por declarações dadas pelo secretário da Fazenda do Paraná, Mauro Ricardo.

    Em entrevista à Gazeta do Povo, ele antecipou que a situação financeira do estado não permitiria nenhum reajuste salarial para os servidores, mas acrescentou que a decisão sobre conceder ou não o reajuste não é apenas da pasta.

    “Cabe a nós apresentar os números para que seja tomada uma decisão”, resumiu ele.

    Segundo Marlei Fernandes, diretora de Finanças da APP-Sindicato (que representa os professores da rede estadual) e uma das representantes do Fórum Estadual de Servidores (FES) na reunião, os servidores mostraram argumentos técnicos apontando que é possível conceder ao menos a reposição da inflação do período, calculada em 8,17% (pelo IPCA), como reajuste salarial aos servidores estaduais.

    Para tanto, eles contaram com a exposição de uma análise das finanças estaduais, feita pela Departamento Interssindical de Estatística Estudos Socioeconômicos (Dieese).

    Pelo lado do governo, participaram da reunião a secretária de Administração e Previdência, Dinorah Nogara, e a secretária da Educação, Ana Seres Trento Comin.

    Esta foi a segunda reunião entre servidores e governo para discutir a data-base dos trabalhadores.

    No último dia 5, a administração estadual pediu mais tempo para estudar um possível reajuste salarial ao funcionalismo.

    A decisão, à época, motivou a decisão dos professores de manter a greve da categoria.

    Publicado por jagostinho @ 12:19



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.