Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 23dez

    ISTOÉ

    Com nova “blindagem” a Graça, Dilma entra no centro da crise

     

    Para o vice-líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias, o comportamento da presidente de blindar Graça é de “conivência” e de “cumplicidade” com o esquema de corrupção na estatal

    AE

    000_Mvd6618485.jpg

     

    Lideranças da oposição afirmaram na tarde desta segunda-feira que a presidente Dilma Rousseff entrará no centro da crise de corrupção que envolve a Petrobras ao ter saído em defesa hoje da presidente da estatal, Maria das Graças Foster.

    Em entrevista exibida ontem (21) pelo programa “Fantástico”, da TV Globo, a ex-gerente executiva de Abastecimento da Petrobras Venina Velosa da Fonseca disse ter alertado pessoalmente Graça Foster, quando a executiva máxima da companhia era diretora de Gás e Energia.

    Venina disse ter informado “a todas as pessoas que podiam fazer algo” sobre irregularidades verificadas por ela na estatal. Em café da manhã com jornalistas esta manhã, Dilma afirmou ser um “absurdo” fazer acusações sem mostrar provas e deu a entender que a presidente da Petrobras não soube com antecedência dos desvios na estatal.

    A empresa tem sustentado que Graça só teve conhecimento dos alertas de Venina em novembro e não desde 2009, como tem defendido a ex-gerente.

    Para o vice-líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), o comportamento da presidente de blindar Graça é de “conivência” e de “cumplicidade” com o esquema de corrupção na estatal.

    “Essa blindagem compromete a presidente, ela é reveladora de um fato: Dilma também tinha conhecimento de tudo e o constrangimento em afastar a Graça é porque, afastando-a, ela (Dilma) também deveria ser afastada (da Presidência). A Dilma também sabia”, afirmou Dias.

    O líder da Minoria no Congresso Nacional, deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), afirmou que o apoio de Dilma a Graça mostra que a presidente atestou e puxou para si “todas as denúncias e atos de corrupção da Petrobras”.

    “Consequentemente, tudo o que feito de errado na empresa tem a bênção de Dilma. Todos os crimes descobertos tem agora de ser respondidos diretamente pela presidente da República”, disse Caiado, eleito senador.

    O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE), disse ser muito estranho a insistência da presidente em manter a atual diretoria, que está desmoralizada.

    “Esse comportamento da presidente Dilma expressa todo o descrédito de uma empresa jogada em um verdadeiro mar de desvios e irregularidades. Qual missão a diretoria está cumprindo? Quem estão querendo proteger o que estão escondendo?”, questionou parlamentar.

    O líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), chamou de “piada pronta” o fato de a presidente ter dito, em entrevista neste final de semana a um jornal chileno, que o país não vive uma crise de corrupção.

    Ele defendeu que a próxima legislatura do Congresso, que se inicia em fevereiro, crie uma nova CPI para aprofundar as investigações das denúncias que envolvam a Petrobras. Lideranças da oposição querem ouvir, nessa nova comissão, Venina Velosa da Fonseca.



    Publicado por jagostinho @ 18:51



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.