Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 01out

    GAZETA DO POVO/EUCLIDES LUCAS GARCIA

    Foto:- Brunno Covello/ Gazeta do Povo/ Arquivo

    Brunno Covello/ Gazeta do Povo/ Arquivo / O ex-governador Orlando Pessuti discursa em evento com a presença de Beto Richa

    O ex-governador Orlando Pessuti discursa em evento com a presença de Beto Richa

    A coligação do governador Beto Richa (PSDB) infringiu a legislação ao utilizar no horário eleitoral da última segunda-feira um depoimento do ex-governador Orlando Pessuti.

    Como é filiado ao PMDB, Pessuti só poderia aparecer na propaganda do candidato do partido, Roberto Requião. Além da punição que a campanha de Richa pode sofrer na Justiça, o próprio Pessuti vai enfrentar um processo ético disciplinar dentro da legenda, que pode resultar em expulsão.

    A coordenação de campanha de Richa deu espaço a Pessuti diante da promessa feita há uma semana por Requião de que levaria ao ar uma “bala de prata” no horário eleitoral da noite de segunda-feira – o que acabou ocorrendo apenas na internet.

    Segundo Requião, o programa encerraria a carreira política de alguns adversários. Claramente preocupado com a ameaça, o grupo tucano lançou mão do depoimento de Pessuti, no qual ele dizia que “eleição com Requião sempre tem armação” e que o atual senador seria capaz de tudo para vencer um pleito, inclusive mentir.

    No entanto, de acordo com o artigo 54 da lei 9.504/97, pode participar do horário eleitoral “qualquer cidadão não filiado a outra agremiação partidária ou a partido integrante de outra coligação”.

    A punição prevista para esses casos determina a perda do dobro do tempo em que ocorreu a irregularidade, no programa eleitoral seguinte.

    Com isso, Richa pode perder 1 minuto e 48 segundos no horário eleitoral de hoje. A assessoria jurídica de Requião já entrou na Justiça com um pedido de direito de resposta.

    Por meio de nota, o PMDB do Paraná afirmou que Pessuti foi irresponsável ao ocupar o programa de um partido adversário para atacar o candidato escolhido democraticamente pela convenção peemedebista.

    O texto diz ainda que, por ferir o estatuto e os princípios da ética partidária, a legenda vai abrir um processo ético disciplinar contra ele.

    Outro lado

    Um fato curioso é que o site oficial da campanha de Richa, que publica todos os programas eleitorais do candidato tucano, editou o vídeo da última segunda-feira e cortou justamente o depoimento de Pessuti.

    Por meio da assessoria de imprensa, a coligação do atual governador não explicou por que tomou essa decisão.

    Questionado sobre o uso de Pessuti no programa de Richa, o assessor jurídico da campanha tucana, Cristiano Holtz, afirmou que é responsável apenas pelo setor jurídico da campanha, e não pelo marketing.

    Já o coordenador-ge­ral, Eduardo Sciarra, defendeu a medida.

    “Foi uma decisão da área de comunicação da campanha, que contou com o apoio de todas as outras áreas, por entendermos que se tratava do depoimento importante de um ex-governador, que expressou aquilo que sente sobre a política do Paraná”, argumentou.

    Procurado, Orlando Pes­­suti não atendeu as ligações.

    Publicado por jagostinho @ 14:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.