Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 12fev

    Erick Gimenez

    Do G1 PR

    Cadeira custará cerca de R$ 6 mil no Brasil; no exterior, custa R$ 70 mil. (Foto: UEL/Divulgação)
    Cadeira custará cerca de R$ 6 mil no Brasil; no exterior, custa R$ 70 mil. (Foto: UEL/Divulgação
    Estudantes e professores de engenharia elétrica da Universidade Estadual de Londrina (UEL) desenvolveram uma cadeira de rodas que se move por meio do sopro.O protótipo foi testado nesta segunda-feira (10), no campus da universidade, por cinco pessoas paraplégicas com diferentes níveis de lesão.
    O produto funciona por meio do oxigênio, expirado ou inspirado pelo usuário, praticamente sem esforço motor.São dois canos acoplados à cadeira, onde o usuário assopra ou suga o ar, gerando movimentos por meio de um sensor de pressão. Uma entrada de ar controla movimentos para frente e para trás; a outra, para os lados.“Nosso desenvolvimento não foi a cadeira, foi a interface. É algo inovador, de baixo custo, para ajudar pessoas que não têm movimentos nos braços e nas pernas. Por meio do sopro ou da sucção, eles conseguem se locomover para frente, para trás e para os lados. O usuário ganha autonomia para se lomover, principalmente em casa”, explica Sílvia Galvão Cervantes, diretora do Centro de Tecnologia e Urbanismo (CTU) da UEL e uma das coordenadoras do projeto.Quando tiver disponível em lojas, a cadeira de rodas deve custar aproximadamente R$ 6 mil no Brasil, segundo a professora.

    O preço é muito inferior a produtos parecidos comercializados no exterior, cujo preço é de R$ 70 mil, em média.

    “Além disso, a interface é amigável, simples. Esperamos que, até o fim do ano, o produto já esteja no mercado”, projeta Sílvia.

    Todos os cadeirantes que testaram a cadeira de rodas nesta segunda-feira fazem parte de uma equipe de basquete que treina na UEL.

    Depois do teste, eles responderam a um questionário para avaliar o projeto e ajudar nos ajustes finais. A concepção será transferida para alguma empresa, conforme a universidade.

    O desenvolvimento da cadeira de rodas inovadora durou mais de dez anos, afirma a UEL. O primeiro protótipo dela foi desenvolvido em 2008, por um aluno do curso.

    A estimativa é que a bateria elétrica que sustenta a cadeira dure em torno de 15 horas.

    Publicado por jagostinho @ 18:53



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.