Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 25jan

    BLOG QUESTÃO BRASIL

    Apesar de dizer que não há elo que ligue propinoduto ao PSDB, FHC sabe que as pretensões de Aécio subiram
    no telhado e a hora parece propícia para o surgimento de uma nova força no cenário político nacional 
         
    Ex-presidente colocou o presidenciável tucano Aécio Neves e o pernambucano Eduardo Campos (PSB) em pé de igualdade em sua preferência para 2014 contra a reeleição de Dilma Rousseff 
     
    A entrevista de Fernando Henrique Cardoso ao blog do Josias de Souza causou mal-estar entre tucanos. 
     
    O ex-presidente disse que episódio que ocorreu na campanha pela reeleição de Eduardo Azeredo, em 1998, em Minas Gerais, não se compara ao chamado “mensalão do PT” porque “foi, eventualmente, desvio de recursos para campanha eleitoral e não compra sistemática de apoio para o governo no Congresso”. 
     
    Sobre o propinotudo em SP, falou manipulação política por falta de provas contra o PSDB, sem citar suspeita de suborno da Alstom a Andrea Matarazzo, que arrecadou milhões para a própria reeleição de FHC. 
     
    Quanto ao PT, disse que torce para qualquer candidato que derrote Dilma Rousseff e que “Lula, de botar tanto poste sem luz, pode acabar escurecendo o Brasil”. 
     
    Além de se pronunciar sobre escândalos tucanos ainda não julgados, aliados de Aécio Neves (PSDB) reclamaram que a declaração sobre 2014 não é benéfica para a campanha tucana. 
    “Não estou pensando partidariamente, estou pensando historicamente. Está na hora. O Brasil precisa arejar”, disse FHC. 
     
    “Eu prefiro o Aécio, que tem uma estrutura maior, mais afinidade. Mas acho que Eduardo está tomando posições que são corretas e vai arejar de qualquer maneira”. 
     
    Segundo fonte ouvida pelo Painel, da Folha de S. Paulo, desautorizou FHC: “Ele está numa fase em que pode falar o que pensa com mais liberdade. Mas não é o pensamento do PSDB”, disse um tucano. 
     
    Oficialmente, o partido tentou minimizar a declaração. O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) foi escolhido o porta-voz sobre o assunto: “Ele está construindo pontes para uma unidade das oposições no segundo turno. A declaração é lógica sob aspecto político e inteligente do ponto de vista eleitoral”.

    Publicado por jagostinho @ 11:43



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.