Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 11dez

    G1 – SC

    Corpo de Luciane foi encontrado sem roupa e com sinais de violência (Foto: Reprodução/RBS TV

    Corpo de Luciane foi encontrado sem roupa e com
    sinais de violência (Foto: Reprodução/RBS TV

    A adolescente de 17 anos que foi estuprada e morta entre Nova Erechim e Pinhalzinho, no Oeste de Santa Catarina, escreveu uma autobiografia como trabalho de escola, dizendo que era a “alegria da família”.

    O trabalho foi escrito uma semana antes da morte, quando Luciane Zwirtes estava terminando o terceiro ano no colégio, informou o pai da vítima, Mauro Zwirtes.

    Luciane escreveu duas páginas da autobiografia, segundo o pai.

    Nela, a adolescente começa falando do próprio nascimento e da casa onde morava com a família.

    Em seguida, comenta as primeiras escolas onde estudou: “sempre fui uma aluna exemplar, tirava sempre notas boas e era muito quieta e tímida”.

    Na autobiografia, a garota também escreveu sobre o ano que considerou o mais marcante para ela, quando viajou para a praia com amigos e conheceu o parque Beto Carrero World.
    “Foi a melhor viagem da minha vida e o ano que mais me marcou”, disse.

     

    Ao final, discorre sobre os planos para o futuro, dizendo que queria cursar publicidade e propaganda na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó).

    Entre os planos para 2014, relatou que queria “começar uma nova vida, ser independente de meus pais, morar

    Garota fez autobiografia em trabalho escolar (Foto: Rádio Centro Oeste/Divulgação)

    Garota fez autobiografia em trabalho escolar
    (Foto: Rádio Centro Oeste/Divulgação)

    sozinha e conquistar todos os meus objetivos na vida”.

    Luciane passou no vestibular do curso que queria.

    Investigação

    A polícia já ouviu pelo menos 20 pessoas e dois suspeitos de envolvimento no estupro e morte da adolescente.

    Segundo a Polícia Civil, até a tarde desta terça-feira (10), ninguém havia sido preso.

    Conforme o delegado responsável pelo caso, Pedro Warpechowski, é possível que o crime tenha sido cometido por um conhecido da vítima.

    “Se fosse um estranho, ela teria corrido”, disse o delegado.

    Entre as mais de 20 pessoas ouvidas pela polícia estão dois eventuais suspeitos.

    “As suspeitas não se confirmaram. É muito cedo para conclusões, trabalhamos com diversas hipóteses”.

    Segundo o delegado, diversos objetos pessoais do criminoso e da vítima foram encontrados às margens da rodovia.

     


    Publicado por jagostinho @ 10:27



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.