Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 09dez

    VEJA.COM

    Torcedor do Atlético PR, espancando por vascaínos, é atendido pelo helicóptero da Polícia Militar, após briga entre torcidas durante a partida entre Atlético PR e Vasco válida pela última rodada do Campeonato Brasileiro 2013 no Estádio Arena Joinville

    Torcedor do Atlético PR, espancando por vascaínos, é atendido pelo helicóptero da Polícia Militar, após briga entre torcidas durante a partida entre Atlético PR e Vasco válida pela última rodada do Campeonato Brasileiro 2013 no Estádio Arena Joinville  – Joka Madruga/Futura Press

     

    Um torcedor internado no Hospital Municipal São José sofreu traumatismo craniano, após pancadaria durante partida entre Vasco e Atlético-PR, no Arena Joinville.

    O estado de William Batista, de 19 anos, é considerado grave, mas ele não corre risco de morte.

    Os outros três torcedores sofreram múltiplas contusões, um deles teve um corte no rosto, e estão em observação no mesmo hospital; um já teve alta médica.

    Eles foram os feridos com mais gravidade na pancadaria que tomou conta da arquibancada do Arena Joinville aos 16 minutos do primeiro tempo no jogo deste domingo. 

    Alguns torcedores do time paranaense teriam partido para cima dos vascaínos, que resolveram enfrentar os rivais. Diante das cenas de selvageria, a partida foi interrompida, com jogadores assustados diante da violência da torcida.

    A polícia identificou e prendeu o torcedor que portava um pedaço de madeira com um prego na ponta durante a confusão.

     Leone Mendes da Silva foi identificado após fotos divulgadas mundialmente mostrarem que ele usou a arma para atingir um torcedor do Furacão que já estava no chão.

    Sua detenção ocorreu quando ele estava no banheiro do ônibus de uma torcida organizada vascaína. Outros dois torcedores do Vasco também foram detidos pela polícia de Joinville.

    Segurança – Em decisão conjunta da PM, do Ministério Público e do Atlético-PR, não houve policiamento dentro do estádio.

    Os policiais ficaram do lado de fora da Arena Joinville, enquanto a segurança interna era privada.

    Mas, depois que começou a briga, a PM resolveu intervir, controlando os ânimos nas arquibancadas e montando um cordão de isolamento.

    Após a briga, 160 policiais militares se dirigiram para dentro do estádio, disse o coronel Adilson Moreira ao canal SporTV. A segurança foi feita ainda por outros oitenta seguranças particulares, segundo o comandante.

    O Atlético-PR foi o mandante do jogo deste domingo, mas obrigado a jogar em Joinville para cumprir punição que o impedia de atuar em Curitiba.

    O jogo foi reiniciado às 18h30, quando parte dos torcedores já havia deixado as arquibancadas. A vitória do time paranaense por 5 a 1 deve rebaixou o Vasco para a segunda divisão.

    Reação – O Ministério do Esporte emitiu nota oficial na noite deste domingo em que repudia as cenas de violência e se compromete em convocar o Conselho Nacional do Ministério Público para um entendimento comum sobre a presença da polícia militar no interior dos estádios de futebol.

    O ministério também pediu a identificação e punição dos torcedores que causaram a confusão.

    O Estatuto do Torcedor prevê prisão e banimento dos estádios aos que cometerem atos de violência.



    Publicado por jagostinho @ 11:44



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.